Knok

Tecnologia

A app que traz o médico a casa chegou ao Algarve

A Knok liga os médicos aos pacientes em tempo real e permite chamar um profissional onde e quando se precisar dele. A aplicação móvel é gratuita e as consultas ficam entre os 49 e 80 euros

Texto de Beatriz Silva Pinto • 19/07/2017 - 13:19

Distribuir

Imprimir

//

A A

Há uma aplicação móvel que faz com que o médico esteja à distância de um par de cliques. Com a Knok instalada no smartphone (disponível para IOS e Android), o utilizador pode ver no mapa que médicos que estão disponíveis, a que distância estão e escolher o profissional com quem quer agendar a consulta. Depois, é só acompanhar no mapa o percurso do médico, até a campainha de casa tocar.

 

Depois de Lisboa, Porto, Braga, Vila Real, Coimbra e Leiria, a startup portuense Knok Healthcare expandiu o seu serviço até terras algarvias (Faro, Vilamoura e Portimão). E vai mesmo a tempo para ajudar aqueles que, com a chegada do bom tempo, migram para sul e se vêem afastados dos locais de saúde da sua zona de residência. A plataforma chegou ao Algarve a 11 de Julho e, nesta primeira semana, "já fez três consultas", revelou José Bastos, CEO da Knok, ao P3.

 

O serviço conta com mais de 130 médicos em Portugal, disponíveis para dar consultas sem limite de tempo e com custo entre os 49 euros, se forem consultas generalistas, e os 80 euros, se forem de especialidade. Mas caso o paciente possua seguro de saúde, é possível obter reembolso de até 50% do valor pago. Medicina geral e familiar, medicina interna, pediatria e psiquiatria são algumas das opções disponíveis.

 

A Knok também deixa que o paciente consulte o currículo de cada profissional de saúde e opte pelo que melhor se adequa à sua necessidade. No final da consulta, o doente pode avaliar o serviço bem como o médico que o prestou. Até à data, foram os 11 mil as consultas realizadas e 99% destas foram avaliadas com cinco estrelas (a pontuação máxima).

 

Novidades em Agosto

No dia 1 de Agosto, "a Knok vai passar a incluir vídeo-consultas na aplicação", anunciou José Bastos: "As vídeo-consultas terão um preço de 20 euros, pois têm menor duração e destinam-se a situações menos graves, com sintomas que não justifiquem uma consulta presencial, ou a pacientes que estejam, por exemplo, fora de casa ou no estrangeiro e precisem de aconselhamento médico".

 

Para além disso, no início do próximo mês, a aplicação móvel vai internacionalizar-se, chegando a Espanha, já com 15 médicos em Madrid.

 

A aplicação que quer dar acesso a um "serviço de medicina primária de qualidade, acessível e rápido, que evite idas desnecessárias às urgências" já foi destacada pela revista de tecnologia WIRED, numa lista que enumera dez inovações mundiais que estão a revolucionar o sector da saúde.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que