Orienta-te Redes Sociais
Raquel Lacerda e João Antunes são autores do blogue "les bons vivants"

Raquel Lacerda e João Antunes são autores do blogue "les bons vivants"

Les Bons Vivants

Nuno Ferreira Santos

Crónica

Ásia em Lisboa e uma receita de caril

Quando quiseres viajar sem sair da cidade de Lisboa, sugerimos uma ida a um destes espaços que nos transportam para o continente asiático. Nada melhor para desenjoar do habitual bacalhau, bitoque ou carne de porco à alentejana

Texto de Raquel Lacerda e João Antunes • 13/06/2013 - 16:53

Distribuir

Imprimir

//

A A

nood – Espaço descontraído de comida asiática de fusão, onde nos servem desde noodles, a massas, sushi e outros pratos. Aconselhamos o kare lomen (bem picante e cuja receita já tentámos reproduzir aqui), soba de alheira ou pato, e as gyozas. Para acompanhar, uma limonada ou sumo de cenoura, ambos com gengibre.

 

Tentações de Goa – Fica numa ruela do Martim Moniz e não é daqueles restaurantes que de goês só tem o nome. Prepara-te: se não toleras comida picante o melhor é não entrar. E não vale a pena fingir que até aguentas pois vai ser impossível, é que é mesmo picante. Desde caril goês (o de caranguejo é óptimo), sarapatel, xacuti de frango ou cabrito, a escolha é variada e o preço justo para a qualidade da comida e para as doses. Pede uma cerveja Cobra para refrescar a boca.

 

Conde Barão – No meio do bairro de Santos, mais propriamente no Largo do Conde Barão, há um snack-bar (sim, leram bem) explorado por uns senhores muito simpáticos e que servem as melhores chamuças de sempre. Podem pedir as de carne ou vegetais e besuntem-nas com os molhos picantes e de iogurte. Os doruns, especialmente de vaca, também são bons.

 

Hong Kong Palace – Se quiseres comer cozinha chinesa a sério, este é o restaurante certo, até porque é aqui que os próprios chineses vão. A ementa é extensa e variada e tem alguns pratos muito diferentes dos que estamos habituados (tendo em conta os nosso hábitos ocidentais, claro). Para primeira vez o melhor é ir com alguém que já conhece, ou pedir dicas.

 

Sushi Café Avenida – Moderno, irreverente, sofisticado. O sushi que nos servem condiz com o espaço (e com preço também, claro...), com a vantagem de ser mesmo bom. Para quem não conhece e não está para arriscar sugerimos o tradicional sushi to sashimi. Caso queiram experimentar coisas novas, optem pelos rolos originais como o mauzer ou o skin cheese.

 

Malaca Too – Fica no Lx Factory e o espaço é engraçado. O conceito é giro também: servir comida asiática variada com um toque mas sem pretensiosismos. Podem ler mais aqui.

 

O caril

Um bom caril tem de ser feito com bons temperos por isso evita os de compra de supermercado. Em alguns espaços com produtos de importação, ou mesmo na Mouraria, encontram-se boas misturas de especiarias e outros produtos como os da Patak’s. Para este caril é preciso pó de caril (há diversos tipos de misturas, as desta marca são boas e há por cá à venda), folha de caril, estrela de anis, azeite, tomate em pedaços pelado, leite de coco, piri-piri (se quiseres puxar pelo picante), cebola branca, alho, sal, pimenta, vinho branco e peito de frango.

 

Começa-se por cortar o peito de frango em pedaços, temperá-lo com sal, pimenta, alho e vinho branco. Aquece-se numa penela o azeite com folhas de caril e uma estrela de anis, e umas duas colheres de café do pó de caril. Junta-se a cebola para refogar e depois acrescenta- se o tomate. Logo de seguida junta-se o frango e o leite de coco e os coentros frescos. Acrescenta-se mais caril, sal, piri-piri e deixa-se cozinhar para apurar os sabores. Se tiveres por casa a pasta korma da Patak’s junta uma colher de sobremesa, pois dá um toque de acidez que é bom. Vai provando para retificar temperos. No fim junta mais coentros.

Eu acho que

Pub

Videoclipe.pt

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Cidadania

Nas escolas de Pedro Aibéo, aprende-se música como uma língua materna — e procura-se uma solução para os músicos que não conseguem sobreviver desse ofício....

A casa de Ansião é uma mistura de...

Arquitectura // A casa vive para dentro, como um gruta. Ali, no pátio central, tudo é intimista...