Orienta-te Redes Sociais
A Matilde é uma boneca personalizável

A Matilde é uma boneca personalizável DR

A maioria das encomendas é feita através da página de Facebook DR

Sofia Ferreira

Matilde Martins

Negócio

aiaimatilde: Matilde inventou uma boneca contra o desemprego

Na faculdade decidiu abrir um blogue para mostrar o seu trabalho. Seis anos depois, a aiaimatilde é a ocupação principal da designer Matilde Martins

Texto de Eliana Macedo • 17/03/2012 - 17:34

Distribuir

Imprimir

//

A A

Matilde Martins converteu a formação em design em valor empresarial e criou a sua oportunidade no mercado de trabalho. Seis anos e centenas de encomendas depois, a aiaimatilde é um exemplo de sucesso.

 

Após ter idealizado, ilustrado e rentabilizado o seu próprio negócio, a designer de 27 anos vive quase exclusivamente da marca a que deu nome. Em resposta à precariedade e desemprego, a jovem aconselha: “temos de lutar e acreditar naquilo que fazemos, temos de criar, ser originais, desenvolver projectos interessantes, viáveis e que tragam retorno.”

 

A marca que, segundo Matilde, “se diferencia pela originalidade, pela constante busca pela satisfação do cliente e pela dedicação ao trabalho”, conta com uma gama variada de peças, que têm como base uma boneca personalizável — a Matilde. Tendo em conta as características do cliente, pode-se alterar a cor do cabelo e do vestido, incluir uns óculos ou acrescentar elementos alusivos à profissão. "Notebooks", pulseiras, molduras, emblemas e placas de carro “bebé a bordo” são alguns exemplos.

 

De uma “brincadeira” a trabalho principal

A ideia surgiu “ainda andava na faculdade e foi evoluindo ao longo do tempo”, conta. “Na disciplina de Informática tivemos a oportunidade de fazer um blogue e pensei 'porque não mostrar o trabalho que tenho vindo a desenvolver?'". Assim foi — "a primeira janela da Matilde para o mundo foi aberta.”

 

Entre o “passa a palavra” e a divulgação nas redes sociais, a marca vendeu centenas de produtos, inclusive para o Brasil, Turquia, Espanha, Alemanha, Holanda, França e Eslovénia. “A maioria das encomendas é feita através da página de Facebook, onde consigo ter um bom 'feedback' por parte dos seguidores, que neste momento são mais de 7600”, explica.

 

“Nunca esperei que a aiaimatilde se tornasse no meu trabalho principal. Antes era apenas uma “brincadeira”, que felizmente teve uma boa aceitação por parte do público”, partilha. Embora realize alguns trabalhos como "freelancer", a designer dedica-se maioritariamente ao projecto.

Eu acho que

Pub

Videoclipe.pt

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Contracepção

Do ponto de vista médico, as pílulas de nova geração são mesmo aconselhadas no “tratamento adjuvante” da acne. “É uma enorme vantagem intervir ao nível...

Salvador, o vencedor do Festival da...

Ilustração // A euforia começou por ser portuguesa: Salvador Sobral interpretou a canção que...