Neopop

Lista

Há Viana do Castelo para lá do Neopop

Os dias do Neopop são uma altura tão boa como outra qualquer para ficar a conhecer Viana do Castelo. Eis os restaurantes e outras paragens obrigatórias da cidade minhota

Texto de Luís Filipe Rodrigues • 30/07/2017 - 09:54

Distribuir

Imprimir

//

A A

Onde comer

Camelo

Rua de Santa Marta, 119

 

Não fica exactamente em Viana do Castelo, mas a deslocação justifica-se tanto que muita gente faz questão de lá ir picar o ponto sempre que passa pelo Alto Minho. Gente que sabe o que é bom, no fundo. O costeletão de novilho é uma aposta segura, tal como o arroz de sarrabulho ou o bacalhau à Gil Eanes. No fim da refeição recomenda-se a baba de camelo.

 

Confeitaria Natário

Rua Manuel Espregueira, 37

 

As bolas-de-berlim da Manuel Natário (não confundir com o Zé Natário) foram devoradas e imortalizadas por Jorge Amado. Costuma haver filas para prová-las, mas não são a única boa razão para ir a esta confeitaria. Arrisquem também os bolinhos de bacalhau, os folhados de carne e de camarão ou a bola de carne com vitela.

 

Mercado na Loja

Rua António Machado Vilas Boas, 294

 

É o sítio certo para recuperar as forças depois de uma noite bem dançada. Algures entre uma cafetaria e uma loja gourmet, tem um brunch altamente recomendável, bons pequenos-almoços e um par de pratos para o almoço, normalmente uma massa e outra opção, que mudam de dia para dia e semana para semana. Não serve jantares.

 

O Laranjeira

Rua Manuel Espregueira, 24

 

No rés-do-chão da mais antiga pensão de Viana do Castelo encontra-se um restaurante tradicional com boa comida minhota. Destacam-se as papas de sarrabulho, o bacalhau assado, impecável, acompanhado por batata frita e couve penca, ou a vitelinha estufada com ervilhas e batata alourada. Tem opções vegetarianas.

 

Tasquinha da Linda

Rua dos Mariantes, A8

 

Neste antigo armazém de pesca não se come carne. Também não faz falta. Os pratos fortes da casa são o peixe fresquíssimo, grelhado no carvão, e tudo quanto é marisco. Bem como as cataplanas. Vá cedo porque enche depressa. Ainda para mais durante o Neopop.

 

O que visitar

Armazém 66

Rua da Bandeira, 66

 

Este armazém, que na verdade é uma loja, guarda lá dentro todo o Portugal. Aberto há pouco mais de um ano, tanto funciona como mercearia gourmet com produtos gastronómicos nacionais, como vende objectos de decoração, peças de roupa ou livros de receitas. Até bicicletas lá se encontram – o mais difícil é levá-las para casa.

 

Fábrica do Chocolate

Rua do Gontim, 70-76

 

Inaugurada em 2014, num edifício centenário que em tempos acolheu a mais antiga fábrica de chocolate do país, é um misto de restaurante, hotel e museu. Os conteúdos estão pensados para crianças e adultos, e oferecem uma perspectiva de 360 graus sobre o chocolate.

 

Museu das Artes Decorativas

Largo de São Domingos, 15

 

Instalado desde 1923 num palacete do século XVIII, o Museu das Artes Decorativas de Viana do Castelo reúne faianças portuguesas dos séculos XVII, XVIII e XIX, bem como azulejos e mobiliário indo-português, além de uma colecção de desenho e pintura.

 

Navio-Hospital Gil Eannes

Doca Comercial

 

Durante décadas, o Gil Eannes apoiou a frota de pesca bacalhoeira portuguesa. Mas entretanto foi para a reforma. Desde finais dos anos 90 que se encontra ancorado em Viana do Castelo e actualmente funciona como museu, acolhendo de vez em quando espectáculos de teatro.

 

Templo-Monumento de Santa Luzia

Monte de Santa Luzia

 

O Templo-Monumento de Santa Luzia é um dos principais pontos de interesse da cidade. Tão ou mais interessante é o miradouro do Monte de Santa Luzia, um dos mais gabados do país, com vista para Viana do Castelo e uma boa parte do litoral minhoto. Além disso, a viagem até ao alto do monte, no funicular, valeria a pena mesmo que não houvesse nada lá em cima.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que