Guarda

O pão deles pode ser o Pão Nosso

"A cultura do pão de centeio, os valores e identidade naturais da montanha e a sua perfeita harmonia com a cultura local" são o mote do Festival Pão Nosso

Texto de Lusa • 26/07/2017 - 12:40

Distribuir

Imprimir

//

A A

A aldeia de Videmonte, na Guarda, vai receber no próximo fim-de-semana um festival dedicado ao pão, que inclui uma oficina orientada pelo jovem padeiro Diogo Amorim, que "preserva as técnicas tradicionais" do fabrico do pão de centeio.

 

Segundo a organização, a realização da oficina de pão, com direcção de Diogo Amorim, é a "grande novidade" do evento, que vai na terceira edição e também inclui um roteiro dos fornos comunitários, oficinas de artesanato, poesia, música e degustações de sabores e de produtos de montanha. "A cultura do pão de centeio, os valores e identidade naturais da montanha e a sua perfeita harmonia com a cultura local" são o mote do Festival Pão Nosso, que vai decorrer entre sexta-feira e domingo no âmbito do ciclo de Festivais de Cultura Popular do Concelho da Guarda.

 

A organização refere, em nota enviada à agência Lusa, que o evento contempla "uma oferta alargada de iniciativas que promovem fortemente o envolvimento dos locais, em que os fornos comunitários e os moinhos de água reavivam a memória" da região. A iniciativa "é um elogio a todos os que preservam os saberes ancestrais na preparação deste alimento [o pão] e os transmitem às novas gerações", sublinha.

 

O festival surge através de uma parceria da ADIRAM - Associação de Desenvolvimento Integrado da Rede Aldeias de Montanha com o Município da Guarda. Integra o Plano de Animação da Estratégia de Eficiência Colectiva iNature, cujo grande desígnio passa por consolidar o posicionamento da região Centro no Turismo de Natureza, e em particular do Parque Natural da Serra da Estrela, potenciando a marca Aldeias de Montanha.

 

"O Projeto Aldeias de Montanha materializa-se numa estratégia de desenvolvimento integrado que pretende valorizar o potencial natural e cultural da região da Serra da Estrela e [da] Beira Interior, colocando este território no mapa turístico nacional" afirma Victor Amaral, vice-presidente da ADIRAM e vereador da Cultura na Câmara Municipal da Guarda. O autarca, citado na nota, considera que estas iniciativas "são fundamentais" para o crescimento económico e social, pois promovem "a tradição, a cultura e identidade e a sua interligação com os valores naturais do Parque Natural da Serra da Estrela".

 

"Os fornos comunitários que têm sido preservados ao longo do tempo são o elemento chave que promovem a ligação entre os [habitantes] locais e quem nos visita ", remata. O ciclo de Festivais de Cultura Popular do Concelho da Guarda, que começou em Junho e termina em Setembro, tem por objectivos, entre outros, divulgar o património cultural material e imaterial, efectivo e afectivo das comunidades envolvidas, valorizar produtos e tradições singulares e a sua autenticidade, aumentar o potencial de dinamização da base económica e produtiva local e dinamizar a região.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que