Sustentabilidade

Na IKEA, a comida é preciosa

É através de uma balança inteligente, ligada a um ecrã táctil, que a IKEA pretende reduzir 50% do desperdício alimentício nas suas operações até ao final de 2020. A solução chega a Portugal no final de 2017

Texto de Ana Rita Carvalho • 19/06/2017 - 18:16

Distribuir

Imprimir

//

A A

“Food is Precious” : é este o nome da nova iniciativa da IKEA, que pretende reduzir o desperdício alimentar nas suas operações até 50% até ao final do ano de 2020. Como? Através de um método de avaliação do desperdício orgânico – um género de balança – que permitirá encontrar respostas inteligentes para combater a dilapidação de alimentos.

 

Esta solução, já implementada em mais de 20% das lojas IKEA, possibilitou, em aproximadamente seis meses, salvar 176 mil refeições. Diariamente, cerca de um terço dos alimentos produzidos são desperdiçados, o que resulta em cerca de 1.3 mil milhões de toneladas de comida. Por este motivo, uma em cada nove pessoas da população mundial passa fome, o que significa que, globalmente, um quarto dos alimentos – que poderia alimentar 870 milhões de pessoas – são desperdiçados. Os restaurantes da IKEA, nas mais de 340 lojas espalhadas por todo o mundo, recebem, anualmente, cerca de 650 milhões de visitantes.

 

Mas de que forma é possível calcular o desperdício ou aproveitamento alimentar? Através de uma balança, conectada a um ecrã táctil, sobre a qual se coloca um caixote com alimentos. Esta solução inteligente possibilita que os restaurantes, lojas e bistrôs da IKEA registem o desperdício alimentício. O sistema utilizado permite ainda identificar formas de melhorar as operações e impedir que os bens sejam deitados ao lixo.

 

O projecto, que arrancou em Dezembro de 2016 e, em Portugal, será implementado até ao final do ano 2017, já preveniu o desperdício de 79.000 quilos de comida. O que significa que foi evitada a emissão de 341 mil quilos de CO2. “Estamos muito entusiasmados com o Food is Precious. Numa área em que tratamos bens perecíveis e em que os nossos padrões de segurança são muito exigentes, o desperdício de alimentos é, de facto, um problema”, explica Nuno Ceitil, IKEA Food Manager, em Portugal. “Com este sistema, vamos conseguir identificar alternativas para melhorar as nossas operações. Este é mais um exemplo de como a sustentabilidade e utilização responsável dos recursos tem um impacto positivo para as pessoas, para o planeta e para o nosso negócio”, acrescenta.

 

Nas lojas aderentes, 70% dos colaboradores IKEA Food mostram-se orgulhosos e 50% confessa que este projeto os incentivou a tomar medidas para reduzir o desperdício alimentar também nas suas casas. “Graças ao envolvimento dos colaboradores e à solução de medição, vemos uma redução de desperdício alimentar de até 30%, somente após alguns meses. Estou a seguir este projeto de perto e espero que consigamos incentivar outras empresas a encarar os alimentos como um recurso precioso”, afirma o director global de IKEA Food Services, Michael La Cour.

 

“Este é mais um exemplo de como a sustentabilidade e utilização responsável dos recursos tem um impacto positivo para as pessoas, para o planeta e para o nosso negócio”, conclui Nuno Ceitil, IKEA Food manager em Portugal. Que esta iniciativa seja apenas o início e que mais empresas a tomem a IKEA como exemplo. Afinal, a comida é mesmo preciosa.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que