Markus Spiske/Unsplash

Vegetarianismo

Que impacto tem a nossa alimentação na vida da Terra?

A terceira edição do Congresso Internacional Paredes de Coura Vegetariana quer falar, numa “perspectiva prática”, daquilo que podemos fazer pela sustentabilidade do planeta. Inscrições já estão abertas

Texto de P3 • 12/06/2017 - 12:22

Distribuir

Imprimir

//

A A

O que é que cada um de nós pode fazer, individualmente, para “dar a volta a esta situação com consequências catastróficas”? É a resposta a esta pergunta complexa que a terceira edição do Congresso Internacional Paredes de Coura Vegetariana procura. De 8 a 10 de Setembro, na vila minhota, o foco serão as alternativas. “Temos que mudar a nossa postura”, acredita Maria Pinto Teixeira, da organização do evento.

 

“Até aqui estivemos a estudar os fundamentos teóricos, agora queremos que as pessoas tenham noções objectivas para fazer uma contra-força”, continua. Além de “aprofundar o estudo do impacto das nossas escolhas alimentares no planeta, na economia, na saúde humana e no bem-estar animal”, a organização do congresso internacional quer que se debatam “estratégias para a inevitável mudança para uma cultura alimentar mais sustentável e saudável”.

 

A Associação Quinta das Águias e a Câmara Municipal de Paredes de Coura convidaram oradores nacionais e estrangeiros e criaram um plano de três dias que conta com a participação da escola secundária “e de quase todos os restaurantes locais”. Maria Aragão e Gabriela Oliveira, “conhecidas por terem obras sobre vegetarianismo”, vão dar uma volta a pratos tradicionais portugueses nos almoços de sábado e domingo. “É possível comer bem e de forma sustentável e, ao mesmo tempo, não prescindir dos sabores”, defende. “Não é nenhum sacrifício ser vegetariano.”

 

No primeiro dia, sexta-feira, está agendada a exibição de um documentário sobre o trabalho dos Sea Shepherd, “guardiões dos oceanos” que enfrentam os baleeiros japoneses para salvar os animais. A Paredes de Coura vai o director executivo da organização, Alex Cornelissen, para apresentar o documentário. Já no sábado, depois do jantar, será tempo de receber Steven Wise, presidente da Nonhuman Rights Foundation, para a apresentação do filme Unlocking the Cage. “Steven Wise vem dos Estados Unidos propositadamente para falar sobre o trabalho desenvolvido para conferir um estatuto jurídico que seja mais condizente com o estatuto natural dos animais”, explica Maria Pinto Teixeira. “Os animais são seres sencientes e ele tem vindo a tentar que reconheçam, legalmente, o estatuto que lhes é natural.”

 

Ao todo são 20 os oradores confirmados e a programação completa do congresso pode ser consultada aqui. Maria Pinto Teixeira — que também integra a associação Animais de Rua — gostava de ver ultrapassada a barreira dos 200 participantes. Contudo, só os primeiros 200 inscritos terão direito aos almoços. Para cada dia, com almoços, a entrada custa 10 euros; para os três dias, 20. Sem almoços, as entradas custam 15 e 7,5 euros, respectivamente. Dúvidas e pedidos de inscrição devem ser encaminhados para info@quintadasaguias.org .

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que