À espera do Verão

Dez gelatarias do Porto que vale a pena provar

Nada melhor do que um gelado para combater o calor - e ele há-de chegar. A Fugas andou pelas ruas do Porto em busca dos melhores gelados. Algumas são recentes, outras mais antigas. Da Neveiros à Bianco, da Amorino à Sincelo, todos os caminhos vão dar ao centro do Porto

Texto de Ana Rita Carvalho • 25/05/2017 - 15:49

Distribuir

Imprimir

//

A A

Mo-Mo

Foi no dia 22 de Abril que a Mo-Mo abriu portas na Rua Campo dos Mártires da Pátria. Luís Montes, o proprietário, concretizou “um sonho” ao regressar às suas “raízes”. “Voltei com a minha mulher”, Kateryna Moskalets, “que é de origem ucraniana”, começa por explicar. Ela era gestora de sistemas de informação, ele trabalhava em empresas de construção. Decidiram então abrir uma gelataria diferente em Portugal e o local foi escolhido ao pormenor – “ambos sabemos que o Porto está a crescer cada vez mais em termos de turismo." Na Mo-Mo o fabrico é artesanal. Não se usam corantes nem conservantes e os estabilizantes são naturais. A fruta “é comprada na frutaria aqui ao lado” e nenhum dos gelados na loja contém glutén. Já chegou a ter mais de 40 sabores na vitrine e todos “são rotativos”: pasta de amendoim, caramelo, chocolate são os mais populares. Mas também existem gelados diferentes, como o de kiwi biológico com banana da Madeira. O segredo passa pela utilização da “mesma máquina artesanal usada por Attilio Santini [da gelataria Santini]” e os clientes habituais “já são muitos”.

 

O preço? Um sabor clássico, por exemplo, custa 2,20€ e um de colecção 2,60€.

 

Gelataria do Porto

“Ainda não fez um ano” desde que a Gelataria do Porto chegou à cidade que lhe dá nome. A recepção por parte dos clientes “é boa” e já tem “alguns clientes fidelizados”. Os estrangeiros, se lá vão uma vez, “voltam duas e três”, revela o proprietário, Miguel Santos. É na Rua de Cedofeita que “se encontram os melhores gelados do Porto”. “O que nos caracteriza é fazer as coisas da forma mais natural e artesanal possível”, com fruta natural, sem conservantes químicos ou corantes. Os sabores tradicionais “existem sempre” e existe também a vontade de “ir aperfeiçoando cada vez mais”. Tangerina, iogurte, chocolate, morango e limão são alguns dos exemplos dos gelados fabricados no próprio “ponto de venda”. Para este Verão? Gelados de frutos de vermelhos são a aposta. "Temos um fornecedor que produz mirtilos, framboesas e amoras de forma biológica”. Mas não é só: “No ano passado, tivemos um gelado de coco com chocolate crocante que vai voltar”, garante Miguel.

 

Os preços rondam os 6 euros para duas pessoas.

 

Bianco Vincent

“Isto já foi uma ourivesaria, uma casa de peles”, que serve agora de sala de eventos, começa por explicar Tânia Silva, gerente da Bianco Vincent, localizada na Rua 31 de Janeiro. E isso nota-se, a história do espaço é visível pela sobriedade da decoração, entre os castanhos e os vermelhos. Foi no dia 24 de Agosto de 2016, quase há um ano, que esta Bianco abriu portas no Porto. “Está a correr muito bem, a Bianco já se tornou uma casa portuense” e já são muitos “os clientes assíduos”. A montra de gelados já foi substituída pelos sabores mais frescos. Mas os mais vendidos são os habituais: melão, melancia, maçã verde e limão. “Chegamos a ter alguns sabores diferentes, como o gelado de Ferrero, que foi dos gelados mais vendidos, mas com este tempo não se justifica”, revela Tânia. Também gelados de café, M&M’s e Oreo podem ser encontrados na Bianco Vincent. “Vamos ter agora gelado de coco, que é muito pedido."

 

Pode experimentar os diferentes sabores por 2 euros cada bola, 3,80 euros por duas bolas, 5,50 euros por três bolas e 7,50 euros por quatro bolas. No passado fim-de-semana, mais uma Bianco nasceu no Porto – chama-se Bianco Gold e situa-se na Ribeira.

 

Amorino

A Amorino é um franchising de origem italiana e só chegou ao Porto a 14 de Julho de 2016, na Rua de Santa Catarina. Prepara-se agora a abertura de um novo espaço, entre os meses de Junho e Julho, “perto da Livraria Lello” – será “a maior Amorino da Europa", revela o gerente Pedro Santos. No primeiro dia de cada mês, a Amorino lança um novo sabor à sua lista. Em Junho será o gelado de sudachi a refrescar os clientes. “As pessoas recebem sempre bem estes novos sabores, gostam sempre de experimentar coisas novas”, explica Pedro. Mas existem gelados detox, de amêndoas e os típicos de morango e limão, que, semanalmente, chegam da fábrica “de todas as Amorinos”, em França. Na Amorino, o sistema de serviço é diferente. “Aqui não há bolas” e, às vezes, as pessoas chegam e até dizem “é muito caro, sem terem a percepção de que o funcionamento da Amorino é com recheio, por peso, o que acaba por se tornar muito mais barato”. Os sabores? “Os que quiser”, não há limite e o objectivo é que fique com “o copo cheio”.

 

O preço? O copo mais pequeno tem um valor de 3,50 euros, o normal de 4,50 euros e, se o calor apertar, pode comprar o copo maior, com “meio quilo de gelado”, por 9,50 euros. O segredo desta marca? “O factor de qualidade.”

 

La Copa

A La Copa está no Porto há três anos e defende que “gelados de qualidade são os artesanais”. É um espaço florido, com um terraço exterior e “atento às tendências”. Maria Emília Ferreira, proprietária da La Copa, diz que tem “sempre novidades” e está “sempre em cima do acontecimento”. Prova disso, são os originais gelados de gin, whisky, caipirinha e melancia. Mas também os sabores tradicionais, como o gelado de creme e de fruta, são especiais – são todos fabricados na loja da La Copa, que se encontra na Avenida Rodrigues de Freitas, com produtos orgânicos e naturais. As novidades para este Verão? Granizados “com fruta de qualidade”. Mas se tem medo das calorias, também pode optar por gelados sem açúcar, que normalmente são produzidos ao fim-de-semana.

 

Na La Copa há opções para todos os gostos. Os preços variam entre os 2,10 euros (uma bola) e os 3,70 euros (duas bolas).

 

Santini

A Santini mora na Rua dos Lóios, na Baixa do Porto. Eduardo Santini Furtes revela que o segredo desta casa, “já muito conhecida”, não existe: “Usamos produtos naturais, de qualidade." Os tradicionais sabores encontram-se lá todos. Morango, marabunta, baunilha e até cereja, é só escolher. São mais de 20 os que podemos encontrar nas vitrines, que vão variando, “dependendo da época do ano”. Os gelados são fabricados em Lisboa e Eduardo garante que “quase todos os dias” os trazem para o Porto para serem vendidos às já habituais filas de clientes. As novidades “vão surgindo” e depende muito “da época, das ideias, das colaborações”. Mas o original também se pode esperar, como o gelado de gin, que no Verão do ano passado conquistou os portuenses. Ninguém se importa de esperar nas filas para saborear os gelados da Santini.

 

Os preços? Uma bola com dois sabores custa 2,90 euros e um gelado com quatro sabores 5,50 euros.

 

Neveiros

Veio de Cascais e situa-se na Rua da Alegria há 67 anos. Gelados artesanais, com frutas orgânicas, geralmente compradas numa frutaria de Mirandela, e sabores inovadores. A mais antiga gelataria no Porto fabrica os próprios gelados e tem também, para além da tradicional loja, um posto de venda no Mercado do Bom Sucesso. Na Neveiros pode refrescar-se com os tradicionais gelados de morango, manga ou baunilha. Ou, então, arriscar e experimentar a Maria Framboesa ou a Ana Limão, gelados em camadas, como um género de cheesecake, que até têm nome próprio, “para homenagear as mulheres”. “Queremos inovar, todos os dias se fazem aqui gelados e todos os anos tentamos introduzir um novo sabor”, explicou à Fugas Maria Adelina Guedes, proprietária da Neveiros.

 

Os preços? “Muito baratinhos”. 1,70 euros por uma bola de gelado, 2,70 euros por duas e 3,70 euros por três.

 

Farggi

“A Farggi pertence a uma cadeia catalã, com origem em Barcelona”, mas “já está em Portugal há 20 anos”, começa por explicar Gustavo Amaral, gerente da Farggi situada na Rua de Melo, no Porto. A Farggi, para além das novidades de Verão, está também a preparar uma nova carta. Apesar de não terem, nas lojas espalhadas por alguns países, “muita variadade de sabores", os seus "alicerces assentam na qualidade”. “O que difere a Farggi de outras marcas é o tipo de gelado, o nosso gelado não tem ar e esse é um gelado tradicional”, esclarece Gustavo Amaral. E esse gelado chega da casa-mãe e fábrica, em Barcelona Lima Limão é o sabor mais famoso da Farggi, “talvez por ser o mais fresquinho”. Os clientes chegam, até porque na Farggi fazem questão que se prove e se comprove a qualidade dos produtos, e ficam. “É impossível, depois de provar, não sentar ou levar” e, se experimentam mais do que um sabor, “ficam confusos e não sabem qual escolher”. “Estamos muito à vontade com o produto que estamos a vender”, acrecenta o gerente.

 

Os preços? Em média, 12 euros por duas pessoas.

 

Cremosi

São seis as lojas espalhadas pelo Porto, mas foi na Cremosi, na Praça D. Filipa de Lencastre, que a Fugas falou com José Pepiz, o responsável pela cadeia. Os sabores são muitos e vão “mudando durante todo o ano”. Os produtos, artesanais e naturais, são feitos numa fábrica e depois distribuídos pelas lojas, “mas sempre fresquinhos e de qualidade”. “O chocolate é o sabor mais procurado, sem dúvida”, ainda que a lista de sabores seja “bastante variada”. Novidades para o Verão? “Ainda estão a ser pensadas”. José Pepiz revela que “os clientes quando provam, voltam” e manifesta a ambição de abrir mais espaços, “como em Lisboa, por exemplo”.

 

Os preços rondam “o normal das gelatarias”, entre 1,90 por uma bola de gelado e 2,90 euros por duas.

 

Sincelo

A Gelataria Sincelo foi fundada em Setembro de 1980 e “desde então é sinónimo de exigência, requinte e qualidade, com uma vasta gama de sabores de verdadeiro gelado artesanal”. Situada na Rua de Ceuta, a Sincelo é muito mais que uma gelataria, é uma marca de “inovação e diversificação”. Teresa Aguiar, responsável pela “renovação” da Sincelo em 2015, relembra, em conversa com a Fugas, que ouve os clientes a fazer contas aos anos “desde que lá comeram o primeiro gelado”. Todos os gelados são confeccionados de forma artesanal no laboratório da casa-mãe da Sincelo e os mais vendidos são os tradicionais e artesanais gelados de morango, iogurte, maracujá e chocolate. Mas são cerca de 30 sabores que, todos os dias, compõem a montra da Sincelo, “com as combinações mais inesperadas, feitas totalmente à sua medida”. E novidades não vão faltar este Verão: “Sorvetes, porque o Verão pede mais frescura, entre os quais o sorvete de chocolate negro com stevia (sem açúcar adicionado), o de maracujá-coco, o de café e o de menta."

 

Pode refrescar-se na Sincelo por 1,90 euros (bola simples) ou por 3,95 euros (taça).

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que