Orienta-te Redes Sociais
Joana Gusmão

Joana Gusmão, produz filmes, cozinha, escreve, toca baixo. Viveu no sul de Londres e vive agora no Bairro Alto de Lisboa

Anthony Bourdain

“Uma das coisas difíceis acerca de estarmos errados sobre o que somos é fazermos afirmações categóricas sobre a nossa identidade e da forma como organizamos a nossa vida e a comunidade em volta dela - Nunca vou ter filhos, serei sempre um solteirão e por aí fora - e depois: oops, esqueçam lá isso. “

DR

Anthony Bourdain

Crónica

Tea for two

Pouco dada a devaneios sociais, anseio vê-lo de costas numa tasca de Lisboa a pedir petingas fritas e uma imperial

Texto de Joana Gusmão • 25/11/2011 - 11:36

Distribuir

Imprimir

//

A A

Melancolia de Inverno à parte, Anthony Bourdain vem, pela terceira vez, a Portugal. Depois da visita ao Norte do país e aos Açores, vem agora a Lisboa filmar mais um episódio do espectacular No Reservations.

 

Nos entretantos escreveu o livro "Medium Raw: A Bloody Valentine to the World of Food and the People Who Cook" e trabalhou como argumentista na maravilhosa "Treme", a convite de sua santidade David Simon (note to self: Season 3 estreia16 de Dezembro). Mais recentemente estreou a sua nova série "The Layover", uma paragem em modo ‘fast’, mas não na ‘food’ numa qualquer cidade do mundo. O primeiro episódio foi em Singapura e não é mau, mas a maturidade não perdoa e o rebelde anda sem causa. Atenção: nada disto diminui a sua contribuição para o mundo dos gajos "cool".

 

Desculpem-me estar a chover no molhado ao escrever de novo sobre ele mas é a única forma. Passo a explicar, é claro que gostaria de o conhecer pessoalmente e fazer uma entrevista digna, mas a muralha burocrática da fama impede-me de o contactar. Pouco dada a devaneios sociais, anseio vê-lo de costas numa tasca de Lisboa a pedir petingas fritas e uma imperial. Eu parava no balcão e conversavamos amenamente sobre a profissão e a vida.

 

Os encontros casuais já não se fazem como antigamente e a probabilidade torna-se improvável. Nos blogues dos fãs que anseiam pela sua chegada, a pergunta é recorrente: por onde navegará o pirata. Caso seja uma casa portuguesa, aqui está uma, a minha. Convoco também a minha amiga Ana, que é uma das "chefs" mais prendadas que já vi com estes olhos que esta terra há-de comer e juntas pensamos o seguinte.

 

Menu degustação para Anthony Bourdain: Sopa de favas com uma rodela de chouriço; pataniscas de bacalhau à moda da São com molhanga de tomate caseiro; porquinho assado no forno com alecrim e castanhas; grelos salteados; leite creme queimado com chai. Tudo regado com um encorpado tinto do Douro.

 

Em seguida, proponho tomar um copo, passar pelo Bairro e, se nos der a larica, experimentar os croquetes, rissóis e bolinhos da senhora que está sentada na soleira da porta; parar na Bica e beber um gin tónico no Funicular; continuar, desviarmo-nos com delicadeza do senhor dos hambúrgueres vegetarianos; descer até ao Cais do Sodré e entrar no Sol e Pesca onde somos sempre bem atendidos e onde nunca é tarde para petiscar a panóplia de delicias que brilham na montra. E ficamos por aqui: não vamos ouvir os Ramones para o Roterdão. Caminharemos até casa, afastando a euforia jovem do caminho. Afinal, já não são horas dos velhotes andarem na rua.

Eu acho que

Pub

Videoclipe.pt

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Crónica

A maioria dos advogados e solicitadores não faz milhares de euros, faz pouco dinheiro por mês, o que torna um desconto obrigatório de 243 euros uma violência...

Reportagem do P3 vence Grande Prémio...

Jornalismo // Mariana Correia Pinto, jornalista do PÚBLICO, ganhou o prémio atribuído pela...