Orienta-te Redes Sociais

Além de muesli, o casal quer servir bolos, biscoitos, sumos e barras de cereais — tudo com ingredientes frescos DR

No Muesli Café, os clientes vão poder levar os cereais para casa ou para o trabalho, em frascos de vidro reutilizáveis DR

Erika e Diogo

A alemã Erika e o português Diogo querem pôr os portuenses a comer muesli ao pequeno-almoço DR

Crowdfunding

Casal de designers quer abrir um Muesli Café no Porto

Diogo Oliveira e Erika Göbel têm o sonho de abrir o primeiro espaço dedicado ao muesli no Porto. Para isso criaram uma campanha de crowdfunding: pedem 12 mil euros até 5 de Janeiro de 2015

Texto de Ana Maria Henriques • 23/10/2014 - 17:48

Distribuir

Imprimir

//

A A

Um “espaço confortável”, pensado para pequenos-almoços saudáveis feitos com ingredientes portugueses é o que Diogo Oliveira e Erika Göbel querem criar, no Porto. O casal de designers gráficos sonha com um Muesli Café no centro da cidade e, para concretizar a ideia, procura financiamento através de uma campanha de crowdfunding.

 

Diogo e Erika conheceram-se quando a jovem alemã estagiou, durante um ano, no Porto. Nesse período, Erika “ficou muito surpreendida com a pouca variedade que existe ao pequeno-almoço” — e sentiu falta do muesli. “Normalmente, [em Portugal] as pessoas comem pão com manteiga e meia de leite e pouco mais”, explica Diogo, que falou ao P3 via Skype, a partir da Alemanha. No Europa Central, diz, “o muesli é uma coisa muito natural, há à venda em todo o lado”.

 

À medida que foram ficando mais próximos, a ideia de um espaço dedicado a estes cereais, normalmente de pequeno-almoço, foi ganhando forma. “Começámos a fazer mais variedade e a ver que conseguíamos alguns cereais que eram mesmo bons, com frutas de qualquer época”, conta. “Sou do Porto, vivo cá desde sempre, e se isto se tornar um hábito das pessoas, é um contributo engraçado para a cidade”, confessa.

 

A ideia é que sejam os próprios a prensar os cereais, “com as coisas o mais frescas possíveis”, sempre com fruta da época, tudo “idealmente português”. “Não queremos guardar fruta congelada”, sublinha. Por isso, e para aproveitar ao máximo cada produto, vão também apostar em “bolos, biscoitos, barras de cereais e batidos”. O café não vai faltar (“Até porque achamos que fica muito bem com muesli”), mas o pão ainda é uma incógnita. “A termos pão ou café com leite, por exemplo, seria sempre algo diferente do que encontramos noutros sítios, se queremos marcar a diferença”, justifica o designer de 36 anos.

 

Além do aspecto saudável deste pequeno-almoço, habitualmente servido com iogurte ou leite, também o ambiente não fica esquecido. Os clientes do espaço vão poder levar o muesli, em frascos de vidro reutilizáveis. Tudo para “não criar lixo”.

 

A campanha de crowdfunding para a concretização do Muesli Café está a decorrer na plataforma portuguesa PPL, até 5 de Janeiro de 2015. Diogo e Erika pedem 12 mil euros para conseguirem arrendar o espaço e adquirir todo o material necessário. O objectivo é conseguir abrir o café “em Maio ou Junho de 2015”. Até agora, o projecto angariou 566 euros.

 

Em termos de localização, o casal — que tem um escritório virtual de design gráfico e webdesign — tem preferência pelo centro da cidade, sendo as zonas da Praça dos Poveiros e da Rua do Almada as favoritas. O futuro Muesli Café “tem que ser um espaço muito confortável e quente no Inverno”, descreve o portuense. “Queremos comprar coisas usadas, cadeiras e mesas diferentes, sofás. Vamos tentar que seja mais sala de estar do que café”, garante.

Eu acho que

Pub

Videoclipe.pt

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Contracepção

Do ponto de vista médico, as pílulas de nova geração são mesmo aconselhadas no “tratamento adjuvante” da acne. “É uma enorme vantagem intervir ao nível...

Entre casais também há violações

Vídeo // A realizadora Chloé Fontaine chamou à curta metragem Je suis ordinaire — o que...