Orienta-te Redes Sociais

DR

Projecto

António está a correr pelo mundo para ajudar os outros

Com o projecto "Correr Pelo Mundo", o maratonista António já fez 75 quilómetros, angariando cerca de 290 euros para instituições sociais. Toda a gente pode pô-lo a correr e aproveitar para ajudar

Texto de Amanda Ribeiro • 15/02/2013 - 17:22

Distribuir

Imprimir

//

A A

Pode parecer confuso à partida, mas não é patranha. António Castanheira Alves está desde Dezembro a correr pelo mundo e já angariou cerca de 290 euros que reverteram a favor de instituições tão diversas quanto a Acreditar, o Cantinho dos Animais de Beja ou a Terra dos Sonhos.

 

A história é simples. Desde há algum tempo que António acalentava a vontade de viajar pelo mundo. "Circunstâncias" empurraram-no para o desemprego — revelar-se-ia o "momento ideal". Terminava entretanto o mestrado executivo em Psicologia Positiva Aplicada no ISCSP - Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (no CV já estavam a licenciatura em Marketing e o mestrado em Gestão) e desatou a magicar, como contou ao P3 por e-mail. "Sempre que imaginava a viagem, ficava a pensar em como podia usar a viagem para conseguir algo mais para os outros. Ou seja, como podia viajando ajudar os outros?"

 

Maratonista amador, viu na corrida a resposta "ideal" para conciliar a viagem e a solidariedade, também por ser uma actividade que "movimenta cada vez mais os portugueses". Deu corda aos sapatos (sapatilhas, ténis, à vontade do freguês) e começou a desafiar amigos e conhecidos a patrocinarem uma corrida. Estava dado o tiro de partida para o projecto "Correr pelo Mundo". Quem quiser participar (e ajudar), só tem de escolher a instituição, juntar uma quantia (a solo ou com amigos), doar esse dinheiro à entidade seleccionada (uma questão de "transparência" e "logística") e combinar com António os trâmites da corrida — quantos quilómetros e onde.

 

"É certo que são pequenos gestos, mas acredito que com estas pequenas acções podemos ajudar. Importante é que todos possamos colaborar e ajudar quem precisa", realça o maratonista que já correu em Lisboa (como "despedida"), Nova Iorque, Assunção (Paraguai), Puerto Iguazú (Argentina) e Montevideu (Uruguai), onde agora se encontra. Seguem-se Buenos Aires, Patagónia, Chile, Bolívia, Peru, Colômbia e Venezuela. Já lá vão 75 quilómetros.

 

A viagem tem sido financiada inteiramente por António que também a faz no âmbito do projecto ISCSP - Cidadania, através do qual a instituição pretende "reforçar" a integração da instituição "nas áreas da intervenção social, da ligação à sociedade e da dinamização do activismo cívico". A última corrida poderá acontecer daqui a três ou quatro meses. Só há uma certeza: será em Lisboa e já tem o patrocínio do irmão.

Eu acho que

Pub

Videoclipe.pt

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Redes sociais

Mário Tarouca

Sem Facebook, sem Instagram, sem Linkedin. “Adiós! See yaaa! Adeus!”: Mário Tarouca despediu-se dos “amigos” das redes sociais para viver um mês sem a pressão...

Bernardo disfarçou-se de turista e...

Livro // Quis olhar para o sector do turismo em Portugal como estrangeiro e, para isso,...