As viagens de um médico que cresceu a ser fotógrafo

autoria Renata Monteiro

// data 22/11/2017 - 13:58

// 7542 leituras

Aos 17 anos, "ninguém vai para nada por vocação". Quem o diz é Jorge Meira, o autor das fotografias de viagem nesta fotogaleria que, naquela idade, escolheu ser médico. Está no segundo ano do internato de Oftalmologia, no Porto, e esta será, “provavelmente, a profissão que terá toda a vida”, na “especialidade que trata o olho como uma câmara fotográfica”, conta ao P3. Mas o trabalho que escolheu não o impede de estender fins-de-semana, folgas e férias para viajar — e fotografar, os dois passatempos que lhe começam a ocupar cada vez mais tempo. Não podia ser de outra maneira, assegura. “Desde pequeno que a fotografia e a viagem são temas recorrentes à mesa do jantar.” Em todas as reuniões de família, em Vila Praia de Âncora, a banda sonora são as histórias de viagem do avô, hoteleiro. “As narrativas começavam sempre com a descrição de um episódio curioso que normalmente envolvia alguém que conhecera lá”, escreve na memória descritiva da série fotográfica das viagens que fez pela América do Sul, Indonésia e Filipinas — e que pode ser vista no Instagram.

 

E, quando “ainda mal sabia escrever”, o pai, que também fotografa, deu-lhe uma câmara para registar as pequenas aventuras que vivia entre livros de explorações e viagens, os temas que lhe caíam sempre nos braços. Os livros mudaram para o atlas do corpo humano, as pequenas aventuras foram crescendo por cerca de vinte países. Agora, com 28 anos, já se consegue rever em algumas das histórias do avô. E, de cada viagem, traz outras para ser ele a contar à mesa do jantar. As próximas terão como cenário a Madeira, em Fevereiro e a Nova Zelândia, em Maio próximos. Enquanto isso, podes espreitar aqui as paisagens habitadas, quanto mais longe da cidade melhor, de um médico que cresceu a ser fotógrafo.

Eu acho que