Vamos sobrevoar a Coreia do Norte de todos os ângulos?

autoria P3

// data 19/10/2017 - 15:52

// 7120 leituras

Vista de cima, parece uma cidade como outra qualquer: há prédios de diversas cores que se assemelham a pequenas caixas empilhadas largadas no solo, distinguem-se traços arquitectónicos bem contrastantes, descampados a saltar à vista. Neste local, que cresce para lá das margens de um rio que o rasga ao meio, tudo parece normal. No entanto, tudo muda de figura se dissermos que estamos a sobrevoar Pyongyang, a capital da Coreia do Norte, esse segredo do outro lado do mundo. Aram Pan foi o primeiro a filmar a cidade em 360 graus, e fê-lo a bordo de um microlight. Seguindo o lema "há dois lados para todas as moedas", o fotógrafo e videógrafo de Singapura iniciou o projecto DPRK 360, em que se dedica a "desmistificar a imagem criada" do país, cuja rotina se assemelha à noção ocidental de vida normal, diz ao portal NK News.  

 

A primeira viagem deu-se em 2013 e desde aí nunca mais parou. Mas como é que alguém consegue permissão para sobrevoar e filmar de todos os ângulos a capital do regime mais fechado do mundo? Na mesma entrevista, o fotógrafo explica que houve um esforço conjunto entre instituições administrativas de turismo e viagens e o próprio. No entanto, todo o material reunido por Aram é revisto, uma vez que existem restrições: na Coreia do Norte, não é permitido fotografar ou filmar militares ou soldados, especialmente em trabalho. Não há proibições para desvendar vários pontos da Coreia do Norte, como parques, aeroportos ou teatros. Podes visitar a Coreia do Norte a partir do site do fotógrafo e do seu Instagram e, claro, neste vídeo, publicado há poucos dias no YouTube.

Eu acho que