Tecnologia

“Trips by Lonely Planet”: uma aplicação para partilhar viagens

Lançada no início de Agosto, a aplicação móvel permite criar cadernos de viagem de forma simples, rápida e intuitiva e partilhá-los com os seguidores na plataforma ou noutras redes sociais

Texto de Mara Gonçalves • 25/08/2017 - 13:23

Distribuir

Imprimir

//

A A

É um cenário recorrente: regressa-se de uma viagem com dezenas de fotografias e de vídeos no telemóvel e o corpo cheio de memórias que queremos recordar e partilhar.

 

Mas não temos um blogue e nas redes sociais já ninguém aguenta mais um post sobre as férias. Trips, lançada no início de Agosto pela Lonely Planet, quer ser a solução. A aplicação móvel permite criar cadernos de viagem de forma simples, rápida e intuitiva e partilhá-los com os seguidores na plataforma (ou noutras redes sociais).

 

As fotografias guardadas no telemóvel são o ponto de partida e o design e as funcionalidades da aplicação são muito semelhantes ao Instagram, tornando inevitáveis as comparações. Entre as publicações especializadas, há quem a apelide de “Instagram para os viciados em viagens”. Mas a app — que marca a estreia do gigante dos guias de viagem nas plataformas de conteúdos gerados por utilizadores — também permite incluir títulos, blocos de texto, legendas e mapas em cada história. O resultado final tem o aspecto e a versatilidade de um post num blogue: tanto pode ser um álbum de imagens (sempre em lista vertical, a não ser que sejam editadas e agrupadas previamente noutra aplicação) como um diário de viagem ou um miniguia com dicas sobre o destino. Mas a criação de conteúdos é mais fácil e imediata — e exclusivamente mobile —, uma vez que as funcionalidades disponíveis são limitadas para simplificar o processo.

 

Quando se entra pela primeira vez na aplicação — para já apenas disponível para dispositivos iOS, mas a versão para Android deverá chegar “ainda este ano” — é-se convidado a seguir amigos que já tenham conta na Trips (caso se entre na aplicação através do Facebook, por exemplo) e vários viajantes sugeridos pela equipa da Lonely Planet para alimentar o feed inicial. Tal como no Instagram, é possível seguir outros utilizadores e fazer “gosto” em cada publicação. Estas ficam automaticamente guardadas no perfil do utilizador, para ser mais fácil regressar a elas mais tarde. Porque o objectivo, lê-se no comunicado de imprensa, passa tanto por “partilhar experiências de viagem com amigos, familiares e outros viajantes” como “descobrir novos sítios”, “ficar inspirado pelas histórias” de outros utilizadores e “começar a planear a próxima aventura”.

 

Além do feed inicial, que apresenta todos os conteúdos partilhados pelos utilizadores seguidos na aplicação, é possível encontrar outras histórias por categorias no separador “discover” (aventura, cidades, ruínas, costas e ilhas, road trips, entre outras). No entanto, como a plataforma não tem caixa de pesquisa, não é possível procurar temas ou destinos específicos. E não permite editar fotos, comentar posts ou enviar mensagens a outros utilizadores.

 

A Trips é a segunda aplicação móvel criada pela Lonely Planet, depois de Guides, lançada em 2016, que inclui “dicas e conselhos de especialistas no terreno” sobre mais de cem cidades do globo. Desde então foi descarregada mais de um milhão de vezes.

 

Offpeak: quando é que a estadia é mais barata?

Os preços por noite nos hotéis são como jogar na roleta russa: tanto podem estar no valor base como o dobro ou o triplo, dependendo da altura do ano, do dia da semana ou do aumento da procura. Se este for um factor decisivo na hora de marcar uma viagem, o Offpeak.io pode dar uma ajuda: basta colocar a cidade pretendida e o site mostra um gráfico com a oscilação da média de preços por noite nos próximos meses nesse destino (é possível escolher entre um e onze meses). A página permite ainda visualizar a média de valores para todos os hotéis ou em cada tipologia (entre três e cinco estrelas), verificar quantos hotéis têm quartos disponíveis em cada dia, quais as temperaturas previstas naquela cidade e que eventos estão a decorrer nessas datas (e que podem estar a alavancar os preços). Para já, a plataforma está disponível apenas em versão beta — existem somente 111 cidades disponíveis para pesquisa e não vai além do gráfico geral. Para esse passo seguinte, o site convida o utilizador a seguir para o Expedia.io, onde é possível encontrar uma lista dos hotéis disponíveis e preços praticados, além de fazer reservas.

 

Esta ferramenta quer fazer todos os check-in por si

Chama-se AirlineCkeckins.com, é gratuita e faz automaticamente o check-in pelo utilizador nos voos de todas as companhias aéreas que disponibilizam o serviço online — mais de cem em todo o mundo. Basta registar-se no site, preencher o formulário com dados pessoais, preferência de lugares, informação relativa a programas de passageiro frequente, entre outros, e utilizar o endereço de email pessoal fornecido pela plataforma quando for reservar os voos. O site trata do resto automaticamente, assim que abrir o check-in online para a viagem seleccionada, e envia-lhe os cartões de embarque por e-mail ou SMS. A versão beta da ferramenta criada pela Lufthansa Innovation Hub, empresa subsidiária da transportadora alemã, estava a ser testada desde o ano passado. Agora foi lançada oficialmente e com novas funcionalidades.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que