Bali mostrou-se a Diogo e agora também a podemos ver

autoria Pedro Castro Esteves

// data 24/08/2017 - 19:33

// 3486 leituras

Diogo Antas da Cunha está habituado a filmar saltos, movimento e recantos de cidades habitados por quem faz do parkour vida. Não admira que conheça bem esse território, uma vez que nem sempre esteve por detrás de uma câmara a captá-lo. Esse lado do jovem lisboeta já conhecíamos. Agora, depois de uma viagem à ilha de Bali, na Indonésia, a contemplação sobrepõe-se ao movimento. Num dos vídeos pré-Bali, Diogo diz que o mais recompensador quando filma é captar “situações reais e espontâneas”. Foi isso que fez em Bali. “Foquei-me muito nas pessoas. Em Lisboa, por exemplo, não se apanha uma pessoa característica. Lá [em Bali], para onde quer que me virasse, via algo característico”, conta Diogo ao P3. À medida que os planos são revelados, acompanhados pela música dos Port Do Soul — que até nos remete para paisagens portuguesas —são as caras, os sorrisos e os gestos do quotidiano de Bali que fixamos. Também fixaram o jovem lisboeta que, depois de ver as imagens que recolheu, até pensou que "poderia ter captado mais paisagem".

Eu acho que