Viajar de caderno em caderno

autoria P3

// data 18/05/2017 - 10:45

// 5724 leituras

A curta nota biográfica diz quase tudo: "Notebookmaker and more". O espanhol José Naranja faz cadernos, o que pode soar a pouco, mas não é. Cada página dos seus livrinhos é uma pequena obra de arte, tão perfeita que mal se pressente a intervenção humana. Há dez anos que o madrileno enche cadernos com as suas aventuras e impressões sobre o mundo. "Viajar é o melhor investimento que existe; é a essência da liberdade e de estar vivo", conta o artista em declarações ao blogue o Instagram. Com canetas, lápis, borrachas, pincéis e aguarelas, produz cadernos em que tenta que as páginas estejam relacionadas e formem um todo. "Como uma mandala", explica o autor de The Orange Manuscript. No Instagram, onde reune quase 90 mil seguidores, vai partilhando as metódicas reflexões sobre viagens a locais como Sevilha, Tailândia, Vietname, Índia. Porque "o planeta em que vivemos é demasiado interessante para não o descobrirmos".

Eu acho que