Prémio

Gap Year: ele venceu o concurso e vai viajar pela América do Sul

João Bonifácio Silva foi escolhido entre 400 concorrentes. O jovem foi premiado com uma bolsa de cinco mil euros e bilhetes de ida e volta. A aventura começa no Brasil

Texto de Isadora Veloso • 13/09/2016 - 14:02

Distribuir

Imprimir

//

A A

O fascínio por viagens acompanha desde a infância João Bonifácio Silva, que já se aventurou por 12 países e é o vencedor do concurso Gap Year 2016. O jovem, de 21 anos, natural de Leiria, embarca em Outubro para a América do Sul cheio de sonhos, planos e com o prémio de cinco mil euros, concedido pela Gap Year Portugal, em parceria com a TAP STEP e a Fundação Lapa do Lobo.

 

Na segunda edição, o concurso procurou oferecer um período de intervalo na vida quotidiana dos jovens que tivessem concluído ou estivessem prestes a concluir o Ensino Secundário ou o Ensino Superior. Entre os cerca de 400 projectos submetidos a concurso, que respondiam à pergunta “O que farias com 5 mil euros, voos oferecidos e um mundo por descobrir?”, João e sua paixão pela América Latina foram os escolhidos.

 

Com o projecto “De braços abertos para a América do Sul”, o recém-formado em Economia pelo Instituto Universitário de Lisboa afirma ter construído um plano que expressava a sua paixão por esse subcontinente e, ao mesmo tempo, despertava a curiosidade dos jurados em conhecê-lo. “Eu tentei fazer um projecto que não revelasse tudo, para incentivar o júri a ter vontade de saber quem era a pessoa por trás do planeamento”.

 

Durante duas semanas, João preocupou-se com cada detalhe e contactou diversas organizações e pessoas para elaborar o melhor roteiro. Talvez o amor que já cultivava por esse longínquo território, ocasionado por uma experiência de Erasmus no México, em 2015, o fez ver nessa oportunidade a melhor maneira de viver, novamente, ao lado “das músicas, das cores, do clima, das pessoas e da comida”.

 

A viagem que começa no dia quatro de Outubro, no Rio de Janeiro, na “cidade maravilhosa”, como ele mesmo gosta de enfatizar, terá uma duração de sete meses. Neste período, João pretende percorrer nove países: Brasil, Paraguai, Argentina, Uruguai, Bolívia, Chile, Peru, Equador e Colômbia. Ao transcrever sua trajectória, detém-se em Machu Picchu, no Peru: “É a minha maravilha preferida; é fascinante e acho que vai ser uma sensação que não terei palavras para descrever”.

 

Como parte do seu Gap Year, o jovem economista também irá participar de programas de voluntariado. A organização não governamental TECHO, que constrói casas, com ajuda de voluntários para pessoas carentes e em situações de risco, é uma das suas preferências. “Vou de braços abertos para todos os desafios, para as crianças que espero conhecer nos voluntariados e vou de braços abertos para todas as diferenças”.

 

O casal de namorados, vencedores do concurso no ano passado, Tamára Brandão e João Amorim, cumpriram uma rota parecida àquela que foi planeada por João, mas com alguns países a mais nas Américas. Ao Sábado, contaram que “todos os dias eram diferentes, todos os dias eram uma aventura”. E destacaram: “Foi muito mais do que aquilo que estávamos a espera. Muitas das coisas que planeamos acabaram por não acontecer, o que é óptimo, porque viajar é assim, não é seguir um plano”. João partilha da mesma opinião dos seus amigos “gappers”, por isso não quer ter tudo previamente delienado: “Existem inúmeras coisas que uma pessoa não consegue prever”.

 

No final de toda essa jornada, na bagagem, além das suas pequenas coisas, o jovem vencedor espera, ao regressar a Portugal, trazer muitas histórias de aventuras e diversão e, acima de tudo, “voltar uma pessoa mais madura e com um pouco mais de sensibilidade para com os problemas do mundo”.

 

Tens interesse em embarcar nessa viagem com o João? Podes acompanhá-lo pela página dele no Facebook e conhecer a América do Sul através das suas fotos e histórias.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que