Estudo

Cinco dicas para um bom currículo

Empresa de recrutamento fez um estudo com o objectivo de ajudar a "aperfeiçoar" o "bilhete postal" dos candidatos. Aqui ficam cinco dicas úteis para melhorares o teu CV

Texto de P3 created; ?> •


Nem sempre é fácil decidir o que incluir no curriculum vitae (CV), tantas são as opiniões divergentes, mas um novo estudo da Michael Page pode ajudar. A empresa de recrutamento entrevistou 564 candidatos e 25 consultores de recursos humanos em Portugal com o objectivo de "aperfeiçoar a formatação, estrutura e conteúdo do curriculum vitae — o bilhete postal do candidato", refere um comunicado enviado ao P3. Deixamos-te cinco dicas úteis que resultaram dessa análise.

 

Cuidado com os erros gramaticais

Escusado será dizer que é completamente proibido dar erros ortográficos e gramaticais na escrita do CV: cem por cento dos consultores consideram que é importante evitá-los. Revê todo o texto com cuidado.

 

Escreve de forma profissional

O uso de palavras-chave para descrever o trabalho e as tuas experiências profissionais é altamente recomendado. É preferível escrever de forma profissional, já que 49,1% dos candidatos e 56% dos consultores consideram que um tom de escrita casual "enfraquece" o documento. Quanto ao uso da primeira pessoa não há unanimidade: se a maior parte dos candidatos considera que fortalece o currículo, a maioria dos consultores não partilha da mesma opinião.

 

Sim às redes sociais

Incluir o contacto de Skype é praticamente obrigatório para os consultores (para 84%, pelo menos) e também para os candidatos. Links para as redes sociais também são elementos valorizados por 68% dos consultores e para 45,7% dos candidatos. Ter endereços de emails criativos é que é para esquecer. 

 

Com foto ou sem foto? 

É sempre uma das maiores dúvidas: deve-se ou não incluir uma fotografia própria no CV? Os recrutadores dizem que sim (76,8%) e os candidatos também. Mas já aqui aconselhávamos: nada de retratos pouco profissionais

 

Valorizar a longevidade

A análise concluiu ainda que se deve referir a universidade onde se estudou e que a longevidade é altamente valorizada: 78,5% dos 564 candidatos entrevistados e 92% dos consultores consideram que permanecer na mesma empresa mais do que dois anos é um elemento que vantajoso para o currículo.