Henrik Fjørtoft

Noruega

Político norueguês posou nu para desafiar padrões de beleza

Tem 27 anos, pesa 17 quilos e sofre de uma doença degenerativa muscular. Torstein Lerhol aceitou posar nu para o jovem fotógrafo norueguês Henrik Fjørtoft com o objectivo de questionar ideias rígidas sobre beleza e satisfação pessoal

Texto de Andréia Azevedo Soares • 26/11/2013 - 01:19

Distribuir

Imprimir

//

A A

Chama-se Torstein Lerhol, tem 27 anos e sofre de uma doença degenerativa chamada atrofia muscular espinhal. Este político norueguês pesa cerca de 17 quilos e, dada a sua condição física, precisa de assistência 24 horas por dia. Em 2012, o fotógrafo Henrik Fjørtoft desafiou-o a participar num ensaio fotográfico no qual apareceria nu numa floresta. Após alguma hesitação, Torstein aceitou. Um dos objectivos do projecto — publicado este ano no diário norueguês Verdens Gang (VG)— é questionar ideias rígidas sobre beleza e satisfação pessoal. 

 

 “Bem, como vocês podem ver nas fotos, eu tenho um aspecto físico diferente do da maioria das pessoas. E tenho uma deficiência severa. Apesar disso, tenho sido muito bem sucedido na minha vida”, afirmou ao P3, numa entrevista realizada por “e-mail” em inglês. Além de ser membro do Senterpartiet — partido de centro-esquerda na Noruega —, Torstein dá aulas e trabalha como orador motivacional, dando palestras em empresas, organizações e estabelecimentos de ensino.

 

A mensagem principal do político norueguês é esta: o nosso aspecto ou as nossas limitações físicas não podem ser vistos como obstáculos a uma existência feliz. “Eu sou a prova viva de que não é preciso ter boa aparência ou ser um rapaz digno de um poster para se ter sucesso ou uma vida plena. Queria transmitir isso com as minhas fotografias, e mostrar também que o culto da beleza na sociedade contemporânea é um pouco superficial e ilusório”, explica o jovem norueguês.

 

Torstein considera-se "optimista por natureza". Nasceu numa pequena aldeia chamada Vang. Filho de agricultores, o rapaz diz ter tido uma “infância muito feliz”. Aos 16 anos, teve de deixar Vang para poder continuar a estudar. Tem três irmãos. Synne, cinco anos mais nova, é portadora da mesma deficiência que Torstein. Apesar das limitações impostas pela perda gradual de massa muscular (da alimentação aos cuidados de higiene, o político norueguês é muito dependente dos seus cuidadores), Torstein concluiu o ensino superior e fez várias viagens. Visitou a Estónia, a Polónia, a França, a Escócia e os Estados Unidos, por exemplo. Contou sempre não só com o apoio da família e dos amigos, mas também com a ajuda das políticas sociais norueguesas, como refere neste texto

 

Henrik Fjørtoft: de assistente a fotógrafo

A ideia de convidar Torstein para uma sessão de nu artístico nasceu quando Henrik Fjørtoft ainda trabalhava como assistente do político norueguês. Recuemos um pouco no tempo. No Outono de 2011, Henrik tinha abandonado os estudos e precisava de um emprego — pelo menos até descobrir o que queria realmente fazer da vida. Torstein, por sua vez, precisava de um assistente que lhe ajudasse na digitação da dissertação do mestrado em História. Henrik foi à entrevista de trabalho e começou a trabalhar com Torstein já no dia seguinte. Esta experiência aproximou os dois e permitiu que se tornassem amigos. Meses depois, Henrik acabaria por encontrar uma nova ocupação: a fotografia. Contudo, continuou a trabalhar como assistente de Torstein aos feriados e fins-de-semana. 

 

“Enquanto fotógrafo, eu queria retratar Torstein como um ser humano fabuloso e forte, e mostrar que o seu aspecto é apenas uma faceta da sua existência. Ele não é Torstein, o deficiente. Ele é Torstein, o homem, o irmão, o filho, o amigo, o professor, o político, e muito provavelmente o tipo mais inspirador que alguma vez eu conheci”, disse o fotógrafo de 28 anos numa entrevista ao P3, também por e-mail e em inglês.

 

Além do diário VG, Henrik conta que o ensaio fotográfico foi ainda divulgado em vários outros periódicos noruegueses, assim como em publicações da Suécia e da Dinamarca. Fotógrafo e modelo são unânimes: as reacções não poderiam ter sido mais positivas. Este reconhecimento abriu portas e tem facilitado o financiamento de novos projectos. O próximo desafio? “Estamos, desde a Primavera, a realizar um documentário sobre Torstein e a sua vida inspiradora”, conta Henrik. O fotógrafo espera que o filme esteja concluído em 2014 e que seja exibido pela televisão norueguesa. “Este é, pelo menos, o nosso sonho.”

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que