Orienta-te Redes Sociais

Anita dos 7 Ofícios e os 1001 amigos com histórias para contar

Sara Chéu tem 27 anos. É de Lisboa e é uma performer em ascensão Ana Morais

Ana Morais

Crónica

A Anita e a Sara Chéu

O percurso dela começou na escola do Chapitô onde tirou o curso de Artes e Animação Circense, e foi nos corredores da mesma que a nossa conversa se desenvolveu

Texto de Ana Morais • 10/04/2015 - 10:22

Distribuir

Imprimir

//

A A

Todos nós temos um aspecto muito próprio que pode ser exponenciado e eu defendo que, às vezes, tudo o que basta é uma oportunidade. Criada(s) ou não por nós, esta(s) trazem sempre pessoas ao nosso caminho que, com maior ou menor impacto, passam a fazer parte da nossa vida. A Sara foi uma dessas pessoas. O talento é-lhe tão inerente que foi impossível passar despercebido.

 

Apresento-vos Sara Chéu, 27 anos. É de Lisboa e uma performer em ascensão. O percurso dela começou na escola do Chapitô (EPAOE) onde tirou o curso de Artes e Animação Circense, e foi nos corredores da mesma que a nossa conversa se desenvolveu. Apesar de se ter formado na Academia de Dança Contemporânea em Setúbal como bailarina é nas artes cénicas que encontra o seu “meio ambiente” que agora pretende vincar com o mestrado nesta área na FCSH. Depois do interregno de bailarina, conta-me, e tendo o seu caminho enveredado pelas artes cénicas, sente agora uma curiosidade imensa por uma arte que até hoje não conseguiu aprofundar: o “clown”.

 

Já conta com vários projectos, a título individual e colectivo, mas à medida que subimos e descemos as escadas do Chapitô emergem ideias que agora vivem ali em memórias — como por exemplo uma peça que desenvolveu na casa de banho do segundo piso que a Sara me contou sentada no tampo da sanita da dita (o que nos valeu umas valentes gargalhadas e fotografias).

 

Quando pergunto sobre experiências marcantes, ela tem dificuldades em especificar, mas revela que entre a sua formação em 2013, fez uma residência artística (“Oversweet Experience”) na Alemanha e integrada no European Roots Movement Festival, onde criou um pequeno solo intitulado “Playin the Game” e de onde originou uma parceria com Marija Baranauskaite (da Lituânia). Desta parceria surge o projecto (não financiado) Gravediggers Dream que já está online e em constante desenvolvimento. Aqui vão partilhando onde andam e o que andam a fazer através de performances ao vivo (inicialmente em versão “caseira”) que documentam em fotografias e vídeos: “A última vez que nos encontrámos foi em Paris. A próxima não fazemos ideia, porque Paris deixou-nos falidas.”

 

Como origem também de uma residência artística em 2012 em Portugal co-criou com Ângelo Cid Neto a performance “Octávio de Olhos Fixos”, vencedora do 1º Campeonato português de Buskers e apresentado já em vários locais de Lisboa, desde rua, metro, cafés, palácios, e ultimamente em escolas, integrado no Festival Materiais Diversos. Em 2014, a convite da plataforma Gerador e para a revista da mesma desenvolveu uma fotonovela exclusiva e criada de raiz intitulada “Comic Balloons”. “Tinha liberdade total praticamente e eu acho sempre mais difícil quando podes fazer o que tu quiseres, as possibilidades são infinitas. Mas a aceitação do público foi surpreendente!” Confesso. Fiz parte do público que adorou a sua expressão como performer neste editorial.

 

No passado mês de Fevereiro esteve no festival The Resolution’15, em Londres, onde participou numa peça de Rosana Ribeiro, “Plastisphere”, e neste momento a Sara encontra-se no Rio de Janeiro para participar numa performance intitulada “BUGS” de Catarina Vieira e Solange Freitas que estará em cena na Sede das CIAS de 10 a 13 de Abril. Para quem vive em Lisboa, um novo projecto com o Ângelo Cid Neto estará em divulgação nos eventos do PLANO LISBOA e consistirá de uma performance, com ensaios abertos em locais inóspitos, a partir do dia 23 de Maio. Esta residência artística irá começar a meio de Abril na Peixaria Centenária. Por isso mantenham-se atentos e não se esqueçam de ir comprovar o que a Anita anda aqui a apregoar.

Eu acho que

Pub

Videoclipe.pt

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Neurociências

Joana Barroso

Investigadora da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto destacou-se com um projecto sobre o papel que o cérebro desempenha na dor crónica e venceu a...

O azul dos oceanos como nunca o vimos

Vídeo // Diz David Attenborough que o oceano é “o maior habitat da Terra”. A voz do brit...