Orienta-te Redes Sociais

Videojogo

Joy Division inspirou o jogo "mais deprimente do mundo"

Um videojogo inspirado no clássico "Love Will Tear Us Apart" encoraja à reflexão sobre o "lado mais negro do amor". Cada verso da canção corresponde a um nível do jogo online

Texto de Tiago Leão • 05/06/2013 - 18:32

Distribuir

Imprimir

//

A A

"Love Will Tear Us Apart", clássico da banda de Ian Curtis — os Joy Division —, serviu de inspiração a "Will Love Tear Us Apart?", um videojogo da Mighty Box. Cada verso da canção corresponde um nível do jogo online que encoraja à reflexão sobre o "lado mais negro do amor".

 

"Nada pode amenizar um romance turbulento como jogar um videojogo sobre a turbulência no romance". A frase é da revista "Rolling Stone" para descrever aquele que é considerado o jogo "mais deprimente do mundo" pela revista "Spin", da responsabilidade de estúdio independente de desenvolvimento de videojogos de Malta.

 

"Will Love Tear Us Apart?" pretende pôr os jogadores a reflectir sobre o "lado mais negro do amor: má comunicação, impasse emocional e a tristeza da separação". O objectivo é recriar a "experiência emotiva" e relembrar "os dias negros que precedem o fim de um relacionamento".

 

Já disponível online, o videojogo resulta de uma iniciativa, com início no verão de 2011, que estabelecia, como desafio principal, a adaptação da música dos Joy Divison para o formato de videojogo. Gordon Calleja assume-se como criador do projecto: "Ele viu cada verso da música como um ambiente de jogo diferente".

 

Escrito no fim da década de 70, o "single" que inspirou "Will Love Tear Us Apart?" retrata os problemas de Ian Curtis, com a esposa, Deborah Curtis, que, entre outros motivos, terá levado ao suicídio do vocalista dos Joy Division, em Maio de 1980.

Eu acho que

Pub

Videoclipe.pt

Arquitectura

Fica na Avenida Camilo, no Porto, e ocupa uma área total de fazer inveja: 5800 metros quadrados. Bem-vindos à BLIP, empresa tecnológica portuguesa, detida por...

Bernardo disfarçou-se de turista e...

Livro // Quis olhar para o sector do turismo em Portugal como estrangeiro e, para isso,...