DR

Jornal

O curioso caso do Rock Rola em Barcelos e, claro, de Barcelos

Nasceu como um blogue e agora a aposta passa também por um jornal de música que quer chegar a todo o país. Será que seria possível em qualquer outra cidade do país?

Texto de Paulo Camões/JPN • 08/04/2012 - 13:07

Distribuir

Imprimir

//

A A

O jornal começou a ser publicado em Junho de 2011. A publicação, trimestral, quer ser uma lufada de ar fresco no panorama musical de Barcelos e de Portugal. Com distribuição gratuita, os dois primeiros números do Rock Rola em Barcelos foram um sucesso e os impulsionadores desta ideia estão confiantes no futuro.

 

O projecto deu os primeiros passos há mais de cinco anos, com um blogue de música. A ideia era reunir todas as informações sobre concertos, festivais e bandas de Barcelos ou com actuações agendadas na cidade. Ilídio Marques, director do jornal e criador do projecto, explica como surgiu a ideia de passar o conceito para o papel.

 

"Quando comemorámos cinco anos, surgiu a ideia de um jornal, que partiu do convite de um aluno de design, o Bruno Albuquerque, que agora é o nosso designer. Antes disso, não tínhamos as condições necessárias para avançar com o jornal, mas ao comemorar cinco anos já tínhamos um espaço marcadamente nosso, já éramos uma espécie de referência na área", conta o jovem.

 

A vontade de dar algo palpável às pessoas e preencher "um espaço vazio" foi um dos principais factores de motivação para Ilídio Marques. "Hoje em dia temos facilmente acesso a todo o tipo de informações através da Internet, mas as coisas não têm o mesmo sabor. É como ir comprar um disco a uma loja, chegar a casa e pô-lo a tocar. Outra coisa é ires buscar o mesmo disco à Internet. A qualidade não é a mesma, não te dá o mesmo prazer."

 

Do blogue para o jornal

Entretanto, o blogue foi distinguido com prémio de Melhor Blogue de Música de 2011. Mas o jornal pretende ir para além do site. O objectivo é alargar os conteúdos a outras bandas para lá das fronteiras da cidade. "A próxima edição, que vai sair daqui a umas semanas, já vai ser aberta ao espectro nacional. Nós percebemos que havia a necessidade de uma publicação generalizada, que fosse mais aberta ao público em geral. Então decidimos misturar bandas de Barcelos com bandas do resto do país", explica Ilídio.

 

O ideólogo do projecto garante que o futuro do jornal passa por este conceito. Desta forma, "as pessoas de Barcelos ficam a conhecer melhor algumas bandas nacionais" e são apresentadas "as bandas da cidade ao resto do país", garante o director. O jornal conta também com alguns colaboradores externos, como José Luís Peixoto, que acrescentam alguma visibilidade à publicação.

 

Rock Rola em Barcelos é distribuído com o "Jornal de Barcelos", mas existe uma assinatura independente que permite receber o jornal em casa, em qualquer ponto do país. Inicialmente, o plano de publicações era de apenas um ano, mas Ilídio Marques garante que vão continuar para além disso.

 

"O 'feedback' que temos tido é excelente. Várias pessoas já perguntam o que vai sair no próximo número, já ficam ansiosos por ter nas mãos o jornal. As nossas expectativas são altas, apesar das dificuldades, porque existem muitos encargos financeiros na publicação de um jornal", refere Ilídio.

 

Este é, de resto, o maior obstáculo para a continuidade do jornal. A publicação vive exclusivamente das receitas de publicidade e Ilídio confessa que, num período conturbado como este, "a maior parte das empresas não está disponível para gastar esse dinheiro em publicidade, o que dificulta a tarefa de levar o jornal para as bancas".

 

O estranho caso de Barcelos

Uma das principais razões do sucesso deste projecto é a própria cidade. Barcelos conta há muito com uma aposta musical forte, sobretudo ao nível do rock. Bandas como The Glockenwise, Black Bombaim ou Aspen são alguns dos exemplos produzidos na "cidade do galo", algumas delas directamente ligadas ao Rock Rola em Barcelos. Nos últimos dois anos, a cidade minhota recebeu, também, o festival Milhões de Festa, que a colocou no mapa dos eventos musicais de Verão.

 

Nuno Rodrigues, vocalista da banda The Glockenwise, assegura que o Rock Rola em Barcelos foi um "valor acrescentado" no desenvolvimento do grupo. "Andámos sempre de mãos dadas. Posso dizer que sem o projecto do Ilídio não teríamos dado o salto para fora de Barcelos", confirma.

 

No que diz respeito ao jornal, o jovem músico acredita que se trata de um passo importante: "É óptimo porque permite que o Rock Rola em Barcelos se torne quase uma referência a nível nacional. Eu guardei as primeiras edições religiosamente em casa e faz parte da natureza humana preferir ter alguma coisa nas mãos."

 

Ilídio Marques afirma que Barcelos tem "qualquer coisa de especial", mas defende que outros locais no país possam desenvolver iniciativas do género. "Qualquer pessoa tem o direito de promover a sua cidade, e deve fazê-lo porque isso permite aumentar o nível cultural de algumas localidades que de outra forma ficariam esquecidas", finaliza.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que