Os indignu[lat.] e a tragédia incendiária em Portugal

autoria Tripé

// data 14/05/2018 - 16:24

// 2384 leituras

Há uma banda barcelense que após estabilizar a formação num quinteto instrumental já editou quatro álbuns naquele registo de modelação emocional entre a delicadeza e a carga enérgica mais enfática que carateriza o género pós-rock. Os indignu[lat.] apresentaram o último ao vivo, em Lisboa e no Porto, na semana passada, altura em que chegou à plataforma VIDEOCLIPE.PT este Nem só das cinzas se renasce, o videoclipe que lhe serve de cartão de visita. E tal como fizeram nos dois álbuns anteriores (destacados também nesta galeria em 2013 e 2016), apostam numa ficção para um tema que contenha também tradução concetual dos próprios álbuns. Umbra, sintetizando a dimensão de meia luz, é o estado de alma de quase apagamento de alguém perante uma tragédia incendiária, o que é uma clara inspiração em acontecimentos recentes e bem nacionais. Este tema, que conta com a letra e a voz de Manel Cruz (Ornatos Violeta), é talvez o mais pesaroso, e praticamente desprovido daquela energia revigorante e luminosa que se conhece da banda, para o qual o coletivo Tripé, sediado em Tomar, deu forma audiovisual. Sem uma definida dramaturgia (é cada vez mais necessária para funcionar melhor na Internet), mas com uma ideia visual interessante (as lâmpadas!) porque afinal também é assim que se começa: em vez da lamúria, o melhor é fazer, experimentar — no vídeo, caminhar — que pode haver uma eventual possibilidade de luz.

 

Texto escrito segundo o novo Acordo Ortográfico, a pedido do autor.

Eu acho que