A intrigante escuridão dos Whales

autoria CASOTA Collective

// data 02/05/2018 - 11:09

// 2337 leituras

Há cerca de um ano, quando destacámos aqui um dos cantos iniciais destas “baleias” do Lis — os Whales, claro! — incidimos o texto sobre um coletivo que emergia a olhos vistos e bem esfregados, estando a afirmar-se numa das mais interessantes forças criativas, tanto da música como do audiovisual em Portugal. Já repisámos depois, mas ainda falta que aqui ao lado no Público alguém saia um bocadinho das criptas locais de adoração cega ao santo cinema para o referir também. Agora que chegou à plataforma VIDEOCLIPE.PT este Twerp, o segundo vídeo de exposição visual do recém editado álbum homónimo, podemos assim conhecer as profundezas sonoras nas quais esta banda — os Whales, escuro! — mergulha. Uma eletrónica densa e arrojada que mastigou pedaços de pop e de rock. Tendo a motivação e o amparo da família Omnichord, Pedro Carvalho, Roberto Oliveira e Vasco Silva são o núcleo sobrevivente de outras vidas sonoras (já tiveram Surma por vocalista), que se contorceram para se mutarem neste prometedor mamífero dos mares musicais nacionais. E internacionais, se repararem na quantidade de concertos já dados pela Europa fora. O mencionado coletivo, CASOTA de nome (também com mão no som do álbum), já demonstraram saber da importância atual de se criar uma imagem metafórica, mas forte, que impressione e agarre a nossa curiosidade até ao fim. Convém também que se espreite Valhalla Rising, mas sem dizer nada, porque aqui ao lado isso cai mal. Bem, não é de todo o videoclipe perfeito, mas o nosso cinema também está longe de o ser e é adorado por vários crentes.

 

Texto escrito segundo o novo Acordo Ortográfico, a pedido do autor.

Eu acho que