Concurso

Vai uma troca? Um desenho por uma guitarra personalizada

Em Paços de Ferreira, uma associação teve uma ideia: o melhor desenho de uma guitarra eléctrica vale o instrumento retratado. As inscrições encerram na quinta-feira

Texto de Pedro Castro Esteves • 28/08/2017 - 19:08

Distribuir

Imprimir

//

A A

E se aquela guitarra eléctrica que viste numa loja pudesse ser personalizada a teu gosto? E se nem a precisasses de comprar e pudesses ganhá-la enviando um email? Se é assim tens até dia 31 de Agosto para pôr a criatividade à prova e enviar o teu desenho à Compaços – Associação de Preservação e Dinamização Musical de Paços de Ferreira.

 

É a primeira vez que a associação dinamiza um concurso de design de guitarras eléctricas para "divulgar ao máximo a arte de tocar guitarra", explica ao P3 Carlos Graf, presidente da organização pacense. Mas para isso é preciso chegar às pessoas. Embora um dos pilares da Compaços seja "dinamizar a música" da cidade, o concurso está aberto a todos os que quiserem participar. O único critério é, pois claro, a presença de uma guitarra eléctrica nas submissões.

 

As candidaturas já começaram a chover e, para já, há desde "desenhos à mão a trabalhos em 3D", adianta Carlos. O presidente da associação sublinha, no entanto, que a guitarra vai parar às mãos do mais criativo. A Compaços deixa nas mãos de quem adoptou a guitarra como um modo de vida a tarefa de julgar a criatividade. "São pessoas já muito conhecidas da música portuguesa e muito ligadas à guitarra eléctrica", diz Carlos a propósito do júri escolhido pela organização do evento.

 

Os concorrentes vão ter a tarefa de impressionar Tó Trips (Dead Combo), Paulo Furtado (The Legendary Tigerman), Frankie Chavez, Peixe (Ornatos Violeta), Ana Moreira (Anarchicks) e Tomás Wallenstein (Capitão Fausto). Todos eles vão atribuir uma nota de 0 a 10 aos concorrentes. O melhor design passa depois do papel para a guitarra, que será trabalhada pela Guitars & Woods – Luthier Suplies. O vencedor é conhecido a 30 de Setembro, a guitarra é entregue no máximo dois meses depois do anúncio. O regulamento completo pode ser consultado aqui.

 

Mãos ocupadas

Esta é apenas uma das iniciativas que tem mantido Carlos Graf e companhia ocupados. A associação foi criada para "trocar conhecimentos, experiências" e para unir a cena musical pacense. "É importante que as bandas não andem de costas voltadas. O objectivo é juntar toda a gente", assume, lembrando que num meio pequeno isso nem sempre acontece.

 

A Compaços tem tentado unir as pontas soltas do que tem sido feito musicalmente em Paços de Ferreira. Os acordes que se têm ouvido na "capital do móvel" estão a ser compilados, em parceria com a Câmara Municipal; pode estar para breve uma apresentação dessa colectânea, para mostrar a música que o concelho ainda esconde.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que