A prometedora Nádia Schilling que ainda não foi à Eurovisão

autoria João Pombeiro

// data 08/06/2017 - 16:33

// 4300 leituras

Um português que se dê ao respeito (respeite já, ou ainda não, o Acordo Ortográfico) tem gosto em escrever “lyric video” para aquilo que se pode designar de “vídeo letrista” — é como aquela do “featuring”: pode haver correspondência fácil em português para isto, mas quase todos a usam assim, mesmo que seja apenas dirigido ao mercado nacional. Adiante. Os “vídeos letristas” floresceram porque favorecem a memorização da letra, embora a maior parte deles mirrem no outro propósito maior: favorecer a partilha do vídeo. Isto porque se limitam às banais piruetas animadas da tipografia sem oferecer surpresa na técnica, ou um universo que dê asas à imaginação e à adesão. Mas, por vezes, também neste país surgem autênticas maravilhas como este Kite de Nádia Schilling, com autoria de João Pombeiro (também assina os grafismos do projeto). Ele é um ilustrador e animador que a maioria pode reconhecer como uma das mentes criativas da desconcertante série “Bruno Aleixo” — também fez a animação da websérie “Uma Nêspera no Cu” — e a minoria (vá, uns dois ou três) pode conhecê-lo como realizador do mais interessante videoclipe da Luísa Sobral, o subtilmente humorado Xico. Ora, se este brilhante rapaz teve o condão de estar ligado ao início de carreira de uma então prometedora artista musical (hoje, de projeção mundial), pode agora ficar marcado por dar cabo da carreira de uma prometedora arquiteta paisagística (ver aqui no PÚBLICO), porque se todo o álbum Above The Trees, que este videoclipe anuncia para o outono e teve produção do próprio, for do calibre melódico deste belo tema “folk-jazz”, ui!, então nem deve “Sobral” para mais nada. Mas isso era se os portugueses tivessem gosto em valorizar o que temos de bom por cá sem irem atrás da moda mediática e televisiva. Ah, claro, há sempre aquela esperança de ela um dia ir à Eurovisão…

 

Texto escrito segundo o novo Acordo Ortográfico, a pedido do autor.

Eu acho que