Orienta-te Redes Sociais

Lovers & Lollypops:

9 anos de bailes sem cerimónias

18/09 - Kufuki
23h30, Passos Manuel, 5 €

19/09 - Os Gonçalos + L&L Soundsystem

22h, Café au Lait, entrada livre

20/09 - HystericalOneManOrchestra + Ghuna X + Negra Branca / Soundsystem: DJ Lynce, Satã, Pata Negra, Paddy Shine (Gnod)

17h, jardim do Praça de Alegria F.C., entrada livre

21/09 - Lust for Youth + The Glockenwise *
17h, Maus Hábitos, 8€
* em co-parceria com a Revolve

Evento no Facebook

Nelson Garrido

Márcio Laranjeira, Joaquim Durães (Fua), Jonathan Tavares Silva e Eduardo Maltez

Música

A Lovers & Lollypops faz nove anos e quer comemorar connosco

Editora e promotora celebra o aniversário com quatro dias de "bailes sem cerimónias" em vários espaços do Porto

Texto de Amanda Ribeiro • 17/09/2014 - 11:22

Distribuir

Imprimir

//

A A

Nove anos. Nove anos são mais de uma centena de meses, três mil e tal dias, mais de quatrocentas semanas; são milhares e milhares de horas, milhões de minutos, com uns quantos cabelos brancos à mistura e muita vontade de continuar. É o princípio do décimo de século que a aventura Lovers & Lollypops (L&L) celebra para o ano. A editora, promotora e produtora, sediada no Porto mas com uma preciosa costela barcelense, está de parabéns — e quer comemorar connosco.

 

As velas sopram-se a partir de quinta-feira em vários espaços do Porto, autênticas segundas e terceiras casas da Lovers, explica o manda-chuva Joaquim Durães, ou seja, Fua. Dia 18, depois do concerto de quarta no Musicbox, em Lisboa, os nipónicos Kufuki levam ao Passos Manuel a sua teia electrónica psicadélica com “filtros de música sul americana dos anos 60” (vem aí uma cassete a caminho). Sexta, há que entrar no fim-de-semana no Café au Lait com Os Gonçalos e (saudades!) o regresso da máquina de festa L&L Soundsystem. Sábado, dia 19, a ressaca, a existir, é para ser curada, a partir das 17h, no jardim do Praça de Alegria F.C., palco de Tainas e futebol, com um cartaz de luxo: as paisagens utópicas de Negra BrancaSoundsystem que, diz Fua, “exploram um pouco a dualidade de viver em Manchester mas ser do Cartaxo”, HystericalOneManOrchestra, Ghuna X, DJ Lynce, Satã, Pata Negra e Paddy Shine (Gnod). A entrada, sublinhe-se, é livre. Domingo, o Maus Hábitos recebe a electrónica algo obscura dos suecos Lust for Youth e o rock’n’roll “in your face” dos Glockenwise, numa parceria com a Revolve.

 

Uma festa de aniversário que surgiu de “uma forma casual”, o que tão bem ilustra a forma de viver a música tão característica da Lovers & Lollypops. Fua tinha em mãos os concertos de Kufuki, Lust for Youth e Negra Branca e pôs-se a questão: “Porque não festejar o nosso aniversário e juntar, a esses, outros nomes?”. Tornou-se uma “bola de neve pequenina”, uma “celebração” com as pessoas que acompanharam a editora, uma, também, espécie de “retrospectiva”.

 

Nove anos é muita coisa — mesmo quando reduzidos a nove concertos. O que mudou? “Em 2005, não havia plano algum. Era a urgência de fazer e de fazer acontecer. Nós sentíamos que tínhamos de fazer.” A partir do momento em que há um festival-fenómeno chamado Milhões de Festa, com um acordo camarário de quatro anos, e um calendário de edições anual surge “uma nova estrutura e uma nova forma de pensar”. Já não é fazer a festa e só arrumar a casa no dia seguinte. É preciso pensar a "longo prazo". Continuam a existir alguns concertos sem gente, mais prejuízo que lucro, alguma "precariedade". “Mas conseguimos viver melhor com isso do que vivíamos no passado.”

 

E o que se segue? “Consolidar as ideias”, diz Fua. No que toca ao Milhões, mas também ao “novo menino” da L&L, o açoriano Tremor. Continuar com a “procura quase insana” de colocar as bandas da editora no mapa — de Portugal e do mundo. “Queremos ter a música portuguesa e a música das bandas da Lovers presente nos circuitos internacionais.” Ao fim de mais de 60 edições (em vinil, digital, cassete e CD), têm plena “consciência do risco e da dificuldade de lançar discos em 2014”, mas pouco se compara “ao momento em que chega o álbum ao escritório”. “A procura incessante de novos sons e novas bandas é algo que nos alimenta e que dá vontade de continuar.”

 

Só por isso, dia 29, via L&L e Shit Music For Shit People, está cá fora o mais recente álbum de JIBÓIA. O novo de trabalho dos Equations também está quase aí, tal como a já mencionada cassete de Kufuki e uma outra dos Glockenwise. A fechar o ano, regressa o festival 20 XX Vinte, com edições no Porto e Lisboa, e 2015 arranca com o Tremor. “E com isto já estamos entregues ao trabalho.”

Eu acho que

Pub

Videoclipe.pt

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Arquitectura

Fica na Avenida Camilo, no Porto, e ocupa uma área total de fazer inveja: 5800 metros quadrados. Bem-vindos à BLIP, empresa tecnológica portuguesa, detida por...

Ser mãe é a melhor coisa do mundo?...

Ilustração // Ser mãe é a melhor coisa do mundo. Ser mãe nem sempre é a melhor coisa do mundo...