Orienta-te Redes Sociais
Hugo Jesus escreve, legenda e faz "balonagem" dos seus livrossobre ilustração de

No livro "Trabalhadores do Comércio", Hugo escreveu, legendou e "balonou" ilustrações de André Caetano e Pedro Pires DR

O estilo dos balões pode variar de país para país DR

Audio

Hugo Jesus prefere o estilo de "balonagem" americano

"A 'balonagem' é quase como um árbitro de futebol"

Banda desenhada

Sem “balonador”, o Homem-Aranha não falava

Além de argumentista de BD, Hugo Jesus legenda e desenha balões para as personagens

Texto de Daniel Cerejo • 30/10/2011 - 09:39

Distribuir

Imprimir

//

A A

Não é um piloto de balões de ar quente, não é um pássaro, não é um avião, nem é o Super-Homem. No entanto, Hugo Jesus até pode vir a dar voz ao herói kryptoniano, isto se o seu portefólio como legendador e "balonador", recentemente enviado para os EUA, for apreciado.

 

Por cá, e para já, o também proprietário da loja de banda desenhada "O Lobo Mau", no Porto, vai desenvolvendo os seus projectos como argumentista (exemplo: "Trabalhadores do Comércio – Imbictus"; "Sonho Sem Fim"), algo que também lhe permite desenhar os balões para as falas das personagens e, ao mesmo tempo, legendá-las.

 

"Em Portugal, a 'balonagem' não é profissão, por isso só o faço naquilo que eu próprio escrevo. Mas como no nosso país a maior parte da BD é importada e precisa de ser traduzida, comecei como legendador. Fiz títulos da Marvel, DC, Dark Horse, Image e IDW", conta Hugo.

 

Como dar voz às páginas

Adepto do método de legendagem digital, porque diz ter, à mão, "uma letra terrível", Hugo Jesus revela que, por exemplo, o processo de preenchimento, com legendas e balões, de um "comic" (livro de BD) de 22 páginas pode ser feito em cinco dias. "Também depende das páginas. Há páginas sem texto, outras só com um diálogo, ou ainda outras com onomatopeias, e essas dão muito trabalho. Legendar e 'balonar' uma página pode demorar entre uma a quatro horas."

 

No que diz respeito ao pagamento deste tipo de trabalho, Hugo refere que "a média, há uns quatro ou cinco anos, era de 2,5 euros por página". A comparação com o mercado dos EUA é inevitável e o autor, mesmo fazendo referência para o estado precário da economia, revela que, dependendo do nome de quem faz o trabalho, a remuneração é de 20 a 40 dólares (aproximadamente 14 a 28 euros) por página.

 

Talvez por causa disso, mas não só, o objectivo presente de Hugo é trabalhar no mercado norte-americano. Quanto ao sonho, esse seria o de um dia "balonar" e fazer o "lettering" do "Amazing Spider-Man", ainda que também gostasse de "ter uma perninha na DC e fazer um Batman ou uma Liga da Justiça".

Eu acho que

Pub

Videoclipe.pt

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Perfil

João Pombeiro

Conhecido por uns como co-criador de Bruno Aleixo e realizador de “Xico”, de Luísa Sobral, João Pombeiro assina o genérico da nova série de Nuno Markl, "1986...

Um designer a jogar às escondidas com...

Vídeo // Fugir para não ser encontrado e para não deixar a cidade "matar a criança que...