Between Two Books: o clube do livro da bibliófila Florence Welch

autoria @betweentwobooks

// data 13/06/2017 - 09:04

// 1716 leituras

Corria o ano de 2012 quando, num belo dia de Julho, a cantora britânica Florence Welch tweetou uma fotografia dela própria em frente a uma livraria em Portland com a legenda "Booksbooksbooksbooks". Livros, livros, livros, livros. Foi o suficiente para Leah Moloney, Abbie Whitehead e Heather Hale, três dedicadas fãs da extensa e enérgica legião de admiradores da cantora britânica, se inspirassem a criar um clube do livro transfronteiriço chamado Between Two Books. Leah sugeriu a ideia num tweet endereçado a Florence e, para sua surpresa, obteve resposta. A cantora, bibliófila assumida, não só gostou da proposta, como amadrinhou o projecto online e offline, recomendando livros em palco e convidando as ideólogas a subirem ao palco em pleno concerto de Florence + The Machine. Com mais de 70 mil seguidores no Instagram, e mais uns quantos milhares noutras redes sociais, o clube funciona como qualquer outro: durante um determinado período de tempo, a comunidade é convidada a ler o mesmo livro, seguindo-se uma discussão no grupo do Facebook. Este mês, pela primeira vez na história do grupo, houve um encontro ao vivo em torno de Os Pequenos Boémios, de Eimear McBride, com a presença da autora e de Florence Welch. Entre os livros já lidos estão Apenas Miúdos, de Patti Smith, Here I Am, de Jonathan Safran Foer (sugerido por Nick Cave) e Elogio da Sombra, de Jun'ichirō  Tanizaki, uma recomendação do artista plástico Grayson Perry, cujo livro The Descent of Man também já foi consumido com pouca moderação. Tudo para "promover o amor pela leitura e encorajar as pessoas a aproveitar os livros ao máximo".

Eu acho que