Açores

Poesia de Natália Correia à solta nos transportes de Ponta Delgada

Em Março, os transportes públicos de Ponta Delgada, nos Açores, vão receber declamações de poemas de Natália Correia. É "uma forma original e generosa de celebrar" a autora

Texto de Lusa • 28/02/2017 - 09:41

Distribuir

Imprimir

//

A A

Poemas de Natália Correia vão ser declamados, em Março, nos transportes públicos de Ponta Delgada, nos Açores, no âmbito da iniciativa Poesia em Natália, que inclui uma tertúlia, uma exposição, animação musical e um espectáculo.

 

"Queremos que seja uma celebração na rua, junto das pessoas, é a cultura que vai ter com as pessoas", afirmou à agência Lusa Inês de Medeiros, vice-presidente da Fundação Inatel, entidade organizadora da iniciativa que assinala este ano a quarta edição, depois de celebrar a poesia de Fernando Pessoa, em Lisboa, de Sophia de Mello Breyner Andresen, no Porto, e de José Régio, em Portalegre.

 

Para Inês de Medeiros, é também "uma forma original e generosa de celebrar Natália", fazendo declamações nos transportes públicos. "É da mais elementar justiça celebrar Natália, naquela que era a sua terra", de onde saiu mas aonde sempre quis voltar, como "deixou muito claro", frisou a responsável, destacando que a "poeta" — como a autora fazia questão de ser considerada — "merece ser lembrada".

 

A vice-presidente do Inatel realçou a "intervenção política e cívica" de Natália Correia, "a sua liberdade de espírito, a sua intransigência na defesa dos valores que defendia e isto são bons exemplos para fazer transmitir às gerações mais novas". "O que importa salientar é que esta iniciativa é muito dirigida para dar a conhecer de forma diferente, de forma lúdica e vivencial às gerações mais novas o que é a vida e a obra de um poeta", declarou.

 

A responsável adiantou que esta actividade visa celebrar o Dia da Poesia e "a obra de um poeta e a sua ligação com o território, o território que o viu nascer ou, então, o seu território de opção". Inês de Medeiros referiu ainda que a iniciativa permite, igualmente, "mobilizar uma série de agentes culturais locais", do teatro, música e literatura, muitos dos quais parceiros e associados do Inatel.

 

De acordo com o Inatel, de 17 a 22 de Março, além de distribuição de divulgação, haverá animação musical com a Filarmónica Nossa Senhora das Neves, da Relva, nas ruas de Ponta Delgada, período durante o qual nos transportes públicos o grupo O Colectivo vai distribuir e declamar poemas de Natália Correia. Na tarde de 21 de Março, Dia Mundial da Poesia, a mesma filarmónica vai animar o largo da Igreja Matriz, seguindo-se uma tertúlia. Um dia depois, o Teatro Micaelense será palco do espetáculo Poesia em Natália, onde Frederico Amaral dá voz a um manifesto escrito por Joel Neto, mas antes, no mesmo local, abre a exposição de artes plásticas de alunos, baseada na obra de ficção Grandes Aventuras de um Pequeno Herói, de Natália Correia.

 

"Pedimos a um autor contemporâneo para escrever um manifesto, não tanto em torno do poeta homenageado, mas em torno da ideia da poesia", explicou Inês de Medeiros, salientando a importância desta acção, pois é a celebração de "um poeta que já não está entre nós, mas também celebrando a passagem de testemunho para outros autores e escritores".

 

Natália Correia nasceu no concelho de Ponta Delgada, em 1923, e fixou residência em Lisboa, onde morreu a 16 de Março de 1993. Foi poetisa, dramaturga, romancista, ensaísta, tradutora, jornalista, guionista e editora, e também deputada. Em Fevereiro, o Governo dos Açores anunciou que as cinzas de Natália Correia e do seu marido, Dórdio Guimarães, que se encontravam no Panteão dos Escritores, no cemitério dos Prazeres, em Lisboa, foram trasladadas para a ilha de São Miguel, cumprindo "o desejo manifestado" pela escritora.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que