Orienta-te Redes Sociais

Distribuidores, críticos e académicos votaram na sua maioria na obra de Hitchcock.

Os dez melhores filmes de sempre

Vertigo – A Mulher que Viveu Duas Vezes (Hitchcock, 1958)

Citizen Kane - O Mundo a seus Pés (Welles, 1941)

Viagem a Tóquio (Ozu, 1953)

A Regra do Jogo (Renoir, 1939)

Aurora (Murnau, 1927)

2001- Odisseia no Espaço (Kubrick, 1968)

A Desaparecida (Ford, 1956)

O Homem da Câmara de Filmar (Dziga Vertov, 1929)

A Paixão de Joana d'Arc (Dreyer, 1927)

8½ (Fellini, 1963)

Cinema

“Vertigo” de Hitchcock eleito o melhor filme de sempre

O Mundo a seus Pés”, de Orson Welles, que estava há 50 anos no top, foi destronado por “Vertigo – A Mulher que Viveu Duas Vezes”, de Alfred Hitchcock

Texto de PÚBLICO • 02/08/2012 - 13:04

Distribuir

Imprimir

//

A A

“Vertigo – A Mulher que Viveu Duas Vezes”, de Alfred Hitchcock, foi eleito o melhor filme de todos os tempos pela revista "Sight and Sound", publicação do British Film Institute, deixando para trás “Citizen Kane - O Mundo a seus Pés”, de Orson Welles, que estava há 50 anos no top.

 

A revista, que de dez em dez anos, convida um painel de jurados especializados na área para nomear os melhores filmes de sempre, publicou nesta quarta-feira os novos resultados.

 

Desta vez, ao contrário das últimas cinco décadas, os 846 distribuidores, críticos e académicos votaram na sua maioria na obra de 1958 de Alfred Hitchcock. “Vertigo – A Mulher que Viveu Duas Vezes” foi o filme mais nomeado, ficando à frente de “Citizen Kane - O Mundo a seus Pés”, de 1941, por mais 34 votos.

 

Na última votação há dez anos, o filme de Hitchcock, sobre um polícia reformado que sofre de vertigens, tinha ficado na segunda posição do top, a cinco votos do clássico de Orson Welles. Protagonizado por James Stewart e Kim Novak, o filme conta a história de John Ferguson (James Stewart) que é contratado por um velho amigo para seguir a sua mulher Madeline (Kim Novak).

 

No entanto, rapidamente este ex-polícia acaba por desenvolver uma paixão obsessiva pela mulher. “Fiquei surpreendido”, disse ao "Guardian" Nick James, editor da "Sight and Sound". “Lembro-me de desejar que o “Citizen Kane - O Mundo a seus Pés” fosse excluído e isso nunca aconteceu, portanto, desta vez fui surpreendido”, acrescentou o responsável, explicando que esta escolha reflecte uma mudança na cultura dos críticos de cinema.  

 

“As pessoas estão a interessar-se mais por filmes pessoais, por aqueles que criam reacções nas suas próprias vidas e o ‘Vertigo’ é esse tipo de filme, especialmente se for visto mais do que uma vez. É um filme que cresce e cresce em ti”, justificou Nick James, para quem a obra de Hitchcock é muito mais contemporânea que “Citizen Kane”. Em terceiro nesta lista ficou “Viagem a Tóquio”, filme de 1953 de Yasujiro Ozu.

 

“2001- Odisseia no Espaço” (1968), de Stanley Kubrick, é a grande novidade ao entrar pela primeira vez para este top dos melhores filmes, tendo ficado na sexta posição.

Eu acho que

Pub

Ilustração P3

Neurociências

Joana Barroso

Investigadora da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto destacou-se com um projecto sobre o papel que o cérebro desempenha na dor crónica e venceu a...

“Continua a valer tudo nas ofertas de...

Entrevista // Plataforma de denúncia de emprego precário e ilegal Ganhem Vergonha reuniu...