Ciclo

Semana de Cinema Lusófono chega ao Sudeste de França

As cidades francesas de Nice, Cannes, Grasse e Mouans-Sartoux vão receber filmes lusófonos, entre 22 e 28 de Março

Texto de Lusa • 27/02/2017 - 12:51

Distribuir

Imprimir

//

A A

Quatro cidades francesas vão acolher a 19.ª Semana de Cinema Lusófono, de 22 a 28 de Março, para "mostrar que a lusofonia é uma visão do mundo particular", disse à Lusa Pedro da Nóbrega, director do evento. "O ponto comum dos filmes é o espaço lusófono. Queremos mostrar que a lusofonia é cultura, é uma visão do mundo particular e que merece relevo e interesse", indicou o também presidente da associação Espace de Communication Lusophone.

 

A Semana de Cinema Lusófono vai apresentar, a 24 de Março, em Nice — e em estreia em França — o filme Cinzento e Negro, de Luís Filipe Rocha, estando confirmada a presença do realizador no festival. Cinzento e Negro conquistou, a 11 de Dezembro, os galardões de melhor realizador e de melhor actor principal nos Prémios Áquila 2016, que distinguem as melhores produções portuguesas de cinema e televisão, tendo também recebido os prémios de Melhor Filme, Melhor Realização, Melhor Argumento (Luís Filipe Rocha), Melhor Actriz (Joana Bárcia) e Melhor Fotografia (André Szankowski) no Figueira da Foz International Film Festival.

 

A Semana do Cinema Lusófono, que vai dividir-se entre Nice, Cannes, Grasse e Mouans-Sartoux, no Sudeste de França, vai também exibir os filmes Montanha, de João Salaviza, e Volta à Terra, de João Pedro Plácido, assim como as obras brasileiras Estive em Lisboa e Lembrei de Você, de José Barahona, também em estreia em França, Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, Boi Neon, de Gabriel Mascaro, e Tudo que Aprendemos Juntos, de Sérgio Machado.

 

"A nossa postura foi sempre de dar a oportunidade ao público em geral — não só lusófono, mas também lusófilo — de conhecer o cinema de autor lusófono, seja português, brasileiro, angolano ou guineense. Temos conseguido dar algum relevo a esta produção cinematográfica e também à cultura musical", explicou Pedro da Nóbrega.

 

O lusodescendente de 58 anos acrescentou que "é um festival esperado, visto e olhado por outras cidades em França" e que conquistou "o papel de divulgador" do cinema lusófono. O festival vai também ter um espectáculo de um rancho folclórico português, de um grupo de batuque da Associação Casa di Cabo-Verde de Nice e um concerto de música brasileira com o quarteto Nina Papa Bossa Joia.

 

O evento é organizado pela Associação Espace de Communication Lusophone, de Nice, em parceria com a Associação Casa di Cabo-Verde, também de Nice, a Associação Festival Trans Méditerranée, de Grasse, e a Associação Lumières des Toiles, de Mouans-Sartoux.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que