Ser o Batman para lidar com a dor

autoria P3

// data 07/02/2017 - 12:27

// 2866 leituras

Veste um dos três uniformes que guarda, coloca a máscara para não se ver a cara e atira a capa pelas costas. Encarna o Batman todas as noites, há vários anos, e é o herói de Brampton, uma cidade canadiana na província de Ontário, cujas ruas percorre num batmobil de fazer inveja a qualquer fã de banda desenhada. Não sabemos o nome nem a idade e também não lhe vimos o rosto — apenas lhe conhecemos a voz (uma imitação do Batman de Kevin Conroy, disse numa entrevista). A batcave fica em Brampton e está decorada com objectos do herói justiceiro. “É a minha alma enterrada nas paredes”, contou. Tal como Bruce Wayne, que perdeu os pais e jurou vingar-se, este Batman canadiano perdeu o pai e teve dificuldade em lidar com a dor. “Ser o Batman não foi uma escolha, antes uma sincronicidade entre a vida de Bruce Wayne e a minha. Não foi uma decisão consciente.” Quando veste o fato preto, permite-se ser livre, lidar com a perda. Pelas ruas — muitas vezes desertas — da baixa de Brampton, persegue criminosos e garante já ter ajudado a apanhar uns quantos. “Ser o Batman é o meu sonho tornado realidade”, confessa no vídeo da agência digital de Toronto Lossless Creative. Mais do que um hobby de fim-de-semana, encarnar o “homem morcego” significa, também, visitar hospitais e participar em eventos de solidariedade. Selfies incluídas.

Eu acho que