Entrar no comboio e saber que o amor é para todos

autoria P3

// data 03/12/2017 - 21:52

// 3573 leituras

Até final de Janeiro de 2018, esperar pelo comboio (ou acabar a viagem) na Estação de São Bento, no Porto, pode ser uma experiência diferente. Há 40 fotografias nos pilares que desfilam a acompanhar a linha, mas estas não são só para se ver — são para sensibilizar. A exposição 40R, resultante de um projecto da associação Espaço T, quer fazer pensar a violência doméstica e a igualdade de género, dirigindo-se às pessoas com deficiência física ou mental. Isto porque, como Jorge Oliveira diz, "são problemas que afectam estas pessoas, que muitas vezes não sabem que estão a fazer mal ou que estão a ser vítimas de algum tipo de violência". No final, com dificuldades cognitivas, motoras, sensoriais ou não, o amor é para toda a gente, tal como a associação questiona com "Afinal o que é o amor?", o tema do ano para o Espaço T.

 

A exposição resulta do conjunto de ateliers "Olhar o Género", uma iniciativa que pôs os alunos das entidades parceiras da associação a trabalhar com profissionais da fotografia. Juntos, repensaram as diversas temáticas que se escondem nos registos fotográficos. Para além da violência e da igualdade de género, o projecto do Espaço T também procura abordar a sexualidade das pessoas com deficiência. Segundo Jorge Oliveira, ainda não se fala tanto quanto se devia sobre sexo entre pessoas com deficiência, porque, para muitos, "não existe". "A sexualidade entre pessoas com algum tipo de deficiência é também ainda alvo de preconceito", acrescenta. Para além das fotografias, também serão distribuídos flyers informativos. 

 

O Espaço T conta com a colaboração do Centro Integrado de Apoio à Deficiência, do Centro de Reabilitação da Condessa de Lobão e da CerciGaia para a exposição 40R

Eu acho que