Amalia procura e partilha coisas bonitas

autoria P3

// data 06/12/2017 - 11:48

// 3428 leituras

“Uma pista, ou um rasto”: é isto que é bonito para Amalia Casado, a autora das imagens desta fotogaleria que “procura e partilha beleza”. Diríamos que a encontra nos pequenos objectos do dia-a-dia, como escovas, canecas ou molas da roupa, que fotografa sempre em fundo branco. Mas, para a espanhola, “não há coisas pequenas”. “De qualquer maneira, nada que pareça grande começa sem antes ser pequeno”, diz ao P3, por email. A partir destes objectos corriqueiros surgem relações criativas provocadas pelas palavras, aparentemente aleatórias, que escreve na descrição das imagens. Cada objecto tem uma palavra com o respectivo significado tal qual vem no dicionário. Uma lupa é "descobrir", uma colher de pau é "sempre" e um rolo de papel já sem papel é "Capta-lejos". "O meu pai tem uma doença chamada Demência de Corpos de Lewy e não encontra palavras quando quer falar. E a verdade é que não precisamos delas para o mais importante", conta.

 

Amalia trabalha em comunicação institucional, estudou ciências políticas, jornalismo e filosofia e comprou um smartphone para captar as coisas bonitas que encontra e mostra na conta do seu Instagram, @amalia.casado. Diz que recentemente descobriu a sua vocação: contribuir para o mundo com o que quer que seja, desde que acrescente alguma beleza.

Eu acho que