Ilustrações que são o "reflexo de uma constante evolução"

autoria P3

// data 02/07/2017 - 16:22

// 2435 leituras

Corpos humanos e cabeças de animais. Casas e casinhas coloridas. Árvores de diferentes formas e cores. Carolina Carmo é natural de Viana do Castelo e tem 27 anos. Divide-se entre a arquitectura, o desenho e a ilustração — trabalhos que podem ser visualizados no seu instagram. Recentemente, ficou desempregada e, por isso, tem dedicado inteiramente o seu tempo àquilo que faz desde sempre: ilustrar. “O meu avô paterno pintava e fazia esculturas em madeira, e o tema preferido dele eram os animais”, começa por explicar Carolina ao P3. “Se calhar é por isso que tendo a desenhar os mais variados animais. Já o meu pai também costumava fazer um jogo comigo e com os meus irmãos, ia desenhando numa folha branca esquissos e nós tínhamos de descobrir o que era e, à medida que o desenho avançava, as linhas iam tomando várias sentidos diferentes (...) Eu sempre adorei vê-lo e acho que os meus primeiros rabiscos nasceram desta brincadeira de crianças”. Inspira-se na vida e em artistas como Ana Aragão e Faye Halliday. Mas a sua arte é “uma arte sem significados ocultos nem mensagens de sentido figurado, é aquilo que me cativa, amanhã, já pode ser algo totalmente diferente”. As suas ilustrações são, no fundo, “um reflexo de uma aprendizagem em constante evolução”.

Eu acho que