"Sexo, dinheiro, ostentação": o modo de vida do gangster americano

autoria Ana Marques Maia

// data 17/05/2017 - 10:57

// 4516 leituras

"gângster" (inglês: "gangster"), substantivo masculino. Membro de uma associação de malfeitores; bandido - in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

 

Foi através de uma experiência de couchsurfing na cidade onde reside, Paris, que o fotógrafo marroquino Souhayl A. teve o seu primeiro contacto com o mundo gangster norte-americano. "A história começou em 2012. Uma rapariga americana com quem tive contacto através do site visitou-me durante uma semana. Durante esse período, a narrativa e a história da sua vida começaram a desenrolar-se e percebi que tinha primos que viviam em Bronx-Sul e na Costa Leste dos Estados Unidos. Mostrou-me os seus perfis no Instagram... tive a ideia imediata de lhe perguntar se podia fotografá-los." Após um período de negociação de seis meses, Souhayl A. rumou a Nova Iorque. Repetiu a experiência quatro vezes e fotografou, no total, durante 35 dias. "Durante a minha primeira viagem, tornou-se claro que os jogos de sedução entre homens e mulheres da comunidade 'gangsta' ofereciam uma perspectiva fotogénica, o que orientou o projecto nessa direcção. Queria dissecar os códigos de sedução entre homens e mulheres desta comunidade e propor uma visão autoral em adição ao que poderia ser encarado com um trabalho sociológico", disse ao P3, em entrevista via email. Durante a primeira visita, pouco fotografou. "A principal dificuldade que senti durante o desenvolvimento do projecto foi ultrapassar os medos e inspirar confiança suficiente para ser aceite pelos membros do gangue que eu não conhecia. Para consegui-lo é necessário, obviamente, não só ter uma estratégia como definir limites que não devem ser ultrapassados. Noutras palavras, tive de lidar com altos níveis de adrenalina e compreender a psicologia humana, usar constantemente o sexto sentido, ou intuição, para captar a essência das pessoas que fotografei e ao mesmo tempo evitar o perigo - é importante manter a intacta a integridade física e não arriscar a vida desnecessariamente." Na opinião de Souhayl A., "os gangues são o lado negro do estilo de vida americano", fruto de uma "degradação produzida pelo declínio de dos valores cívicos e morais e do advento da sociedade de consumo no mundo onde impera o liberalismo selvagem". "Baseia-se numa atitude de permanente ostentação e exibição: 'enriquece ou morre', 'obtém dinheiro, f*** mulheres'. Este é o estilo de vida 'gangsta'. Noutras palavras, o que um cidadão honesto tende a adquirir através de uma longa e dura vida de trabalho e esforço, o 'gangster' quer obter já, neste momento, e não importam os meios a que terá de recorrer para alcançar o objectivo." Apesar da opinião negativa do fotógrafo relativo à realidade que captou, Souhayl pretende esclarecer algumas das ideias erradas no que toca o preconceito de raça associado a este fenómeno. Os factores que determinam a formação de gangues não estão relacionados com a origem dos seus membros - raça, nacionalidade, sexo -, mas sim com a cultura local em que os indivíduos estão inseridos.

Eu acho que