Orienta-te Redes Sociais

Pantónio disfarçado e em acção

"Abdjusting" é outro projecto do Pantónio

Arte urbana

Quem se esconde atrás da placa do FMI na Av. da Liberdade?

É um artista de 35 anos o bem-humorado que, como forma de protesto, interveio na sinalética de Lisboa.

Texto de Romana Borja-Santos • 15/04/2011 - 16:21

Distribuir

Imprimir

//

A A

Quem por estes dias andar de olhos postos nas indicações da cidade de Lisboa pode ficar confuso. Uma placa indica que o FMI fica na Avenida da Liberdade. Bruxelas é pouco depois, nos Restauradores.

 

Na Rua Braamcamp, na casa do primeiro-ministro, José Sócrates, uma placa informa que ali mora agora Angela Merkel. Já o Banco de Portugal passou a ser a sede do Banco Central Europeu.

 

Uma estranha imposição da ajuda externa? Nada disso. Esta foi a forma que um artista bem-humorado encontrou para protestar contra o actual estado do país, numa iniciativa que fez coincidir com a entrada do Fundo Monetário Internacional em Portugal.

 

O PÚBLICO foi conhecê-lo. Pantónio, nome artístico, tem 35 anos e é com este pseudónimo que assina as suas obras. Trabalha como designer gráfico, mas também se dedica à ilustração e a fazer intervenções na rua (ainda que não de carácter político).

 

“Costumo andar pela cidade atento a possíveis buracos negros que possam lá existir para intervir. Gosto muito de arte urbana e de fazer todo o tipo de intervenções e aproveito esses buracos negros para a criatividade e para fazer intervenções”, conta ao PÚBLICO.

 

E numa das suas incursões pela cidade reparou nesses tais “buracos negros” que neste caso são brancos. Há várias placas brancas que não têm nada inscrito e Pantónio sentiu que seriam o sítio perfeito para deixar a sua marca – que desta vez não poderia ser indiferente à crise económica e política que Portugal atravessa.

 

“Nos últimos tempos toda a situação politica é tão pornograficamente desconcertante que mesmo não pertencendo a nenhum partido não podia ficar indiferente.”

Eu acho que

Pub

Videoclipe.pt

Fotografia

Antropólogo apaixonado por fotografia tem milhares de imagens de lugares abandonados, entre Portugal e outros países. Agora, o seu "Proj3ct Urbex" está num...

A “maior arca fotográfica” quer...

National Geographic // É “a maior arca fotográfica do mundo” e chega pela primeira vez à Europa, mais...