Arte urbana

Maria Imaginário deixou "o amor para trás" e expõe na Underdogs

Exposição "A Mind of its Own" está patente na galeria Underdogs, em Lisboa, de 15 de Dezembro a 13 de Fevereiro. Artista deixou "o amor para trás" e aposta em telas e "esculturas pequeninas"

Texto de Lusa • 13/01/2016 - 12:40

Distribuir

Imprimir

//

A A

A galeria Underdogs, em Lisboa, inaugura na sexta-feira, 15 de Janeiro, "A Mind of its Own", exposição individual da artista portuguesa Maria Imaginário, composta inteiramente por trabalhos novos.

 

Maria Imaginário dedica-se maioritariamente à pintura, sobretudo em telas, mas nem sempre foi assim. Em 2005 começou a pintar gelados, bolos e outras guloseimas, nas ruas de Lisboa. Hoje, "a rua continua a ser uma extensão das telas", mas já não pinta paredes com a mesma regularidade, contou à Lusa. Definir as suas obras "é complicado". "Pinto muito sobre sentimentos, sou um bocado lamechas e nota-se que vim da ilustração", disse. A formação que tem na área obteve-a num curso de Ilustração e Banda Desenhada no ar.co - Centro de Arte e Comunicação Visual.

 

Ao longo do tempo criou uma personagem, "que se tornou principal", o "coraçãozinho de merda". Nesta exposição decidiu "separar-se dele". "Deixei o amor para trás e foquei-me em racionalizar as coisas, como funciona o processo", referiu. Em "A Mind of its Own" há telas e "esculturas pequeninas", sendo que "cada quadro tem uma história, uma narrativa própria" que cada visitante perceberá sozinho. A exposição, de entrada livre, estará patente até 13 de Fevereiro. Mais tarde, Maria Imaginário irá deixar uma obra numa parede de Lisboa e também será lançada uma obra pela Underdogs, em edição limitada de artista.

 

A plataforma Underdogs que tem como responsáveis a francesa Pauline Foessel e o português Alexandre Farto, que assina como Vhils, é um projecto cultural que se divide entre arte pública, com pinturas nas paredes da cidade, e exposições dentro de portas, no n.º 56 da rua Fernando Palha, ao Braço de Prata, em Lisboa, um antigo armazém recuperado e transformado em galeria. A plataforma tem também uma loja, no Mercado da Ribeira, e começou no ano passado a organizar visitas guiadas de Arte Urbana em Lisboa.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que