Orienta-te Redes Sociais

INELO

INELO

INELO

Empreendedorismo

Design: Inês e Gonçalo fazem o teu boneco por encomenda

Os monstrinhos que eles criam não vieram dos pesadelos de infância nem estão debaixo da cama. Chamam-se (IM)PERFEITOS, são bonecos, e saem das mãos desta dupla criativa, também conhecida como INELO

Texto de Cristina José Freitas • 18/04/2012 - 10:25

Distribuir

Imprimir

//

A A

São dois designers gráficos. São um casal. Trabalham para outras agências de design de comunicação, mas acharam que “fazia todo o sentido” terem algo deles. Chamam-lhe “um extravasar de criatividade e experiências” e nós passamos, agora, a conhecer esse devaneio como um monstrinho (IM)PERFEITO.

 

Juntaram o seu amor à máquina de costura lá de casa e deram vida e forma “a um monstrinho ilustrado”, explicou ao P3 a dulpa. Inserem estes bonecos no artesanato urbano e defendem que se vivemos “num país com uma história tão rica e tradições tão fortes, porque não pegar nelas e dar-lhes uma nova vida, tendo em conta as novas ferramentas que possuímos?”.

 

Estes monstrinhos têm olhos de botões e vestem tecidos com cores, texturas e padrões distintos. São edições limitadas, que se adaptam à identidade de cada um de nós, e podem ser adquiridos por encomenda online. As características de cada pessoa que quer um (IM)PERFEITO seu, sejam elas psicológicas ou físicas, fazem de cada um destes bonecos uma criação única e pensada de forma particular. Os criadores INELO consideram que “uma peça trabalhada manualmente tem muita mais alma do que algo estandardizado”, portanto cada (IM)PERFEITO é portador de “ um afecto muito especial”e existirão para venda “até quando toda a gente tiver o seu”.

 

Casal, casal, costura à parte

O Gonçalo não se aventura com a máquina de costura, portanto a Inês trata dessa parte, que é a fase final de uma criação que dura entre três a quatro dias, desde o pedido até ao envio do boneco. De resto, o ”processo é um pouco orgânico, não existem regras definidas” e fazem os dois “um pouco de tudo”. O ditado “casa de ferreiro, espeto de pau” tem aqui a sua aplicação. Ainda não têm um casalinho de monstrinhos seus, mas assumem-se orgulhosos deste projecto: “Felizmente, podemos gabar-nos que queríamos fazer uma coisa e que, sim, estamos a fazê-la ”.

 

Alguns vivem na Fabrica Features, no Chiado em Lisboa, porque este casal acredita que “a Internet é muito boa, mas ainda não tem capacidade para substituir o ver ao vivo as coisas”, além de dar credibilidade ao projecto, uma vez que é incubadora deste tipo de trabalhos.

 

A quem, como eles, surgiu uma ideia, aconselham a correr o risco e, “se gostam mesmo e acham que o projecto que têm na cabeça seria uma mais-valia, porquê deixá-lo na gaveta?”

Eu acho que

Pub

Videoclipe.pt
Videoclipe.pt

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Fotografia

Antropólogo apaixonado por fotografia tem milhares de imagens de lugares abandonados, entre Portugal e outros países. Agora, o seu "Proj3ct Urbex" está num...

Ser mãe é a melhor coisa do mundo?...

Ilustração // Ser mãe é a melhor coisa do mundo. Ser mãe nem sempre é a melhor coisa do mundo...