Braille Neue

Projecto

A nova fonte que une o “braille” ao alfabeto tradicional

E se fosse possível unir a escrita tradicional ao alfabeto em "braille"? Kosuke Takahashi, designer japonês, criou uma nova fonte tipográfica que interliga os dois sistemas.

Texto de Ana Jorge Teixeira • 06/04/2018 - 17:35

Distribuir

Imprimir

//

A A

A ideia foi de Kosuke Takahashi, um designer japonês, com uma missão: tornar a comunicação mais inclusiva. Por isso decidiu desenvolver uma nova fonte, vocacionada para os espaços públicos, apelidada de Braille Neue, que une a escrita tradicional ao braille. Para isso, incorporou os pontos em relevo do braille aos caracteres do alfabeto tradicional, o que permite que ambas as populações leiam o mesmo texto.

 

"Raramente se vê o braille implementado nos espaços públicos", confessa o autor no seu site. O designer espera mudar isso com esta fonte, que, acredita, vai tornar as pessoas "mais familiarizadas com o braille", além de diminuir as dificuldades de comunicação que existem entre invisuais e não invisuais. Outro dos objectivos é usar a Braille Neue nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio em 2020 "para criar um verdadeiro espaço universal onde qualquer um possa aceder à informação". De acordo com o criador, "é fácil implementá-la na infra-estrutura existente e é também um trampolim para um futuro mais sustentável e inclusivo após 2020".

 

Como os caracteres em braille costumam ser mais pequenos, o designer também fez um estudo para perceber se continuariam a ser legíveis se fossem maiores. Concluiu que "desde que exista um padrão de seis pontos", a leitura é possível, independentemente do tamanho. 

 

O projecto ainda não está totalmente concluído, mas o criador revelou no Twitter que espera lançar este sistema gratuitamente.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que