DR

Exposição

“Unknown Pleasures” é agora uma peça de 3D em mármore

Design Museum, em Londres, expõe trabalhos de arquitectos portugueses e estrangeiros executados em pedra portuguesa. A exposição é organizada pela experimentadesign

Texto de Amílcar Correia • 01/10/2017 - 10:24

Distribuir

Imprimir

//

A A

Peter Saville — designer inglês celebrizado na década de 80 e de 90 pela produção de várias capas icónicas de discos igualmente icónicos — é um dos artistas participantes na exposição Set in Stone, integrada no programa Primeira Pedra, organizado pela experimentadesign no The Design Museum, em Londres. A peça de Saville chama-se In Memoriam e é uma escultura que funciona como sequela em 3D do seu trabalho em Unknown Pleasures, primeiro disco dos Joy Division, de 1979, desenvolvido a partir de um gráfico que regista as pulsações sucessivas do CP1919 (a primeira estrela pulsar descoberta a partir de ondas de rádio, em 1967).

 

A transposição da capa do primeiro disco da banda de Ian Curtis para um formato 3D foi feita com a participação de Bill Holding, em 2002, e é agora reproduzida em mármore Ruivina Escuro especificamente para esta exposição. Curiosamente, a imagem utilizada por Saville acabou por dar origem a uma das t-shirts de bandas mais populares em festivais de música ao vivo e outros concertos, apesar de a banda ou a editora nunca terem lucrada nada com isso, por nunca se terem preocupado com o registo de direitos de autoria.

 

De resto, o contrato entre Tony Wilson, o verdadeiro boss da editora, e Rob Gretton, o agente da banda na época, foi assinado com sangue num guardanapo de um pub. Mais tarde, os músicos foram obrigados a pagar impostos pelos supostos lucros obtidos com a venda de tantas t-shirts, pela simples razão de que o fisco inglês não acreditou na história da ausência de contrato para a comercialização do merchandising da banda. Merchandising não fazia parte do glossário da Factory ou das bandas do seu universo.

 

O designer foi um dos fundadores da Factory Records, editora independente de Manchester nascida na década de 70, escolhido por Tony Wilson como responsável pelo grafismo dos cartazes de concertos organizados pela Factory no Russel Club, no Hacienda, e de muitas das capas do catálogo discográfico da etiqueta. No entanto, além das capas de bandas como Joy Division, New Order ou Section 25, Peter Saville também assinou algumas capas de bandas como os Roxy Music, Pulp, Suede, Orchestral Manoeuvres in the Dark, ou David Byrne.

 

In Memoriam faz parte de um conjunto de 20 trabalhos, assinados por nove arquitectos e designers de vários países, divididos em três áreas: arquitectura, design de produto e design gráfico. A peça de Saville surge a par de trabalhos dos portugueses Eduardo Souto de Moura, Paulo David, Miguel Vieira Baptista e Jorge Silva, e de outros trabalhos assinados pelo atelier chileno Elemental, o inglês Jasper Morrison, o cipriota Michael Anastassiades e a dupla austríaca e americana Sagmeister & Walsh. A exposição, que se destina a estimular a experimentação das potencionalidades da pedra portuguesa, pode ser vista até dia 25 de Outubro.

 

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que