DR

Projecto

Saint Mary Store, uma loja para "vender" Santa Maria da Feira

Vestuário quotidiano e trajes medievais, bolsas, joalharia e acessórios, louças, material de escrita e brinquedos são alguns dos produtos que vão ser vendidos na loja online

Texto de Lusa • 19/07/2017 - 13:20

Distribuir

Imprimir

//

A A

Os fãs dos grandes eventos de Santa Maria da Feira, como a Viagem Medieval, o Imaginarius ou o parque natalício Perlim, passam a contar com uma loja online para adquirir produtos associados ao município. O site chama-se Saint Mary Store (traduzível por "Loja Santa Maria") e tem gestão da empresa municipal Feira Viva, que, enquanto entidade promotora dos referidos projectos lúdicos e culturais, reúne agora merchandising diverso num mesmo ponto de venda na internet - disponível durante todo o ano e com entrega postal em qualquer ponto da Europa ou levantamento presencial na Loja Interactiva de Turismo da cidade.

 

"Já tínhamos este tipo de produto disponível em lojas físicas na Feira, mas o conceito agora é garantir que, em períodos fora da data dos eventos, tanto as pessoas que se deslocam à cidade como as que não podem vir cá passam a ter acesso facilitado a um bocadinho de Santa Maria da Feira", antecipou à Lusa o director-geral da Feira Viva, Paulo Sérgio Pais.

 

"A oferta da loja inclui nesta fase mais de 200 produtos e eles estão todos relacionados não só com os nossos grandes eventos, mas também com a identidade do município em geral", realça. Em causa estão artigos como vestuário quotidiano e trajes medievais, bolsas, joalharia e acessórios, louças, material de escrita, brinquedos, velas e sabonetes, artigos de decoração, heráldica, artesanato e livros - tudo com autoria por entidades públicas e privadas do território.

 

Produtos alimentares como a fogaça também deverão ser comercializados na Saint Mary Store, mas, para já, o procedimento "ainda está a ser devidamente estudado", para garantia de que eventuais compras possam ser entregues em qualquer ponto da Europa a tempo de o produto ser consumido fresco e em segurança. Para Paulo Sérgio Pais, a nova loja é assim "uma consequência natural da aposta que se fez nos últimos dois anos na qualificação dos produtos vendidos durante os eventos da Feira" e na sua diferenciação em termos de design.

 

"No caso dos produtos associados à Viagem Medieval e a Perlim, por exemplo, de um ano para o outro conseguimos praticamente duplicar as vendas", realça o director da Feira Viva. Quanto ao volume de negócios a obter nos primeiros 12 meses de actividade da nova loja virtual, ainda não há expectativas definidas. "Vai ser um ano de teste", conclui, admitindo a possibilidade de o respectivo serviço de entregas ser, entretanto, alargado a todo o mundo.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que