Evento

Porto e Matosinhos anunciam bienal de design para 2019

A Porto International Design Biennale vai ocupar o vazio deixado pela Experimenta Design. Programa será apresentado em Junho

Texto de André Vieira • 28/05/2017 - 09:58

Distribuir

Imprimir

//

A A

A primeira edição da Porto International Design Biennale decorrerá entre Setembro e Dezembro de 2019 debaixo do tema Post Millennium Tension e tem como missão afirmar a região norte no mapa dos grandes eventos internacionais na área do design.

 

Aproveitando o espaço que ficará vazio com o fim da bienal ExperimentaDesign (EXD), após 18 anos de actividade e nove edições, as câmaras do Porto e Matosinhos anunciaram este sábado, no pequeno auditório do Rivoli, o esforço conjunto entre as duas cidades vizinhas para receber a bienal que será organizada pela Esad – Idea, Associação para a Investigação em Design e Arte, com curadoria geral de José Bártolo. 

 

O vídeo de apresentação que precedeu o anúncio fez um percurso pelo espaço urbano das duas cidades focado no património arquitectónico e em alguns equipamentos dedicados ao design. Matosinhos tem a Casa do Design, o espaço da Esad – Idea, na Brito Capelo, a Incubadora do Design no mercado municipal, e vai ter a nova Casa da Arquitectura no renovado edifício da Real Vinícola. Em 2010 o Porto recebeu a AGI Open, a European Academy of Design Conference, e há dois anos, em conjunto com a cidade vizinha, recebeu a EXD, que pela primeira vez se estendeu até ao Norte. Paralelamente ao anúncio desta tarde, de resto, decorria a entrega de prémios dos European Design Awards, também no Rivoli.

 

É precisamente esse trabalho desenvolvido na área do design nas duas cidades que leva o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, a afirmar que a bienal que vai arrancar em 2019 é “um trabalho que está a ser pensado há muito tempo”. Considera existir “um nicho de talento” e a necessidade de “ocupar um espaço que está livre”. 

 

O presidente da autarquia do outro lado da Circunvalação, Eduardo Pinheiro, diz que este é “um projecto ambicioso” que se enquadra na aposta que está a ser feita pela autarquia nesta área e que tem como motor a Escola Superior de Arte e Design (ESAD), “um dos maiores activos do concelho”.

 

No âmbito académico, as faculdades de Belas Artes e de Arquitectura do Porto e os “inúmeros ateliers de design que existem nas duas cidades", de acordo com a organização, conferem a massa crítica necessária para receber um evento desta envergadura.

 

Com o tema da primeira edição, Post Millennium Tension, procurar-se-á analisar a actual configuração disciplinar do design numa perspectiva histórica, no sentido de medir o afastamento e a proximidade entre o design contemporâneo e o modelo moderno que vigorou até ao fim do milénio. Objecto de análise serão também as formas e funções do design produzido nas duas primeiras décadas de 2000 e a sua eficácia social na relação com a economia, a tecnologia, a cultura e o meio ambiente.

 

Debaixo do foco estarão também os “designers do milénio”, ou designers millennials, que serão o ponto de partida para uma reflexão sobre a forma como esta geração educada e integrada num mercado de trabalho “em circunstâncias movediças” pode caracterizar-se e diferenciar-se face a novos cenários geopolíticos, debaixo do poder da web 3.0, numa conjuntura em que persiste a disseminação de cultura open source

 

Este será, de acordo com José Bártolo, o ponto de partida para o evento que terá o programa delineado em Junho deste ano. Programa que será o ponto de partida para novo esforço de “internacionalização do design português”, tendo em vista “um resultado construtor”, que a longo prazo, após um trabalho de “continuidade”, se transforme numa referência para o público já existente, mas que também seja a porta de entrada “de novos públicos”.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que