Experimentadesign

Designers e arquitectos vão experimentar a pedra portuguesa

Projecto "Primeira Pedra" vai convidar arquitectos, designers de produto e designers gráficos, sobretudo estrangeiros, a desenvolver trabalhos que foquem o material em bruto e processado

Texto de Lusa • 19/10/2016 - 12:02

Distribuir

Imprimir

//

A A

Uma base de dados para divulgar a pedra portuguesa a nível mundial, com as características dos materiais, empresas que operam no sector e projectos em curso, foi colocada online. O sítio "Primeira Pedra, em português e inglês, está dividido em duas áreas principais, uma delas com uma base de dados sobre as pedras portuguesas, as empresas, projectos pelo mundo onde a pedra nacional é utilizada e artigos e curiosidades sobre a pedra em geral.

 

Outra área apresenta os três projectos principais da "Primeira Pedra" — "Resistance", "Still Motion" e "Common Sense" —, que reúnem cerca de 30 arquitectos e designers nacionais e internacionais num programa de pesquisa e investigação em redor da pedra nacional.

 

De acordo com a Experimentadesign, a plataforma tem como objectivo "comunicar a importância da pedra nacional e da indústria que lhe está associada, servindo como meio de valorização e divulgação do 'cluster', um dos principais objectivos do programa 'Primeira Pedra'", segundo os responsáveis da iniciativa. Um dos objectivos do programa é sensibilizar para as especificidades da pedra portuguesa e para a indústria que lhe está associada, num total de 1500 empresas do sector, das quais 40 pertencem ao "cluster" da pedra natural.

 

A primeira fase de apresentação da "Primeira Pedra" decorreu em Maio, em Itália, no âmbito da 15.ª Exposicão Internacional de Arquitectura da Bienal de Veneza, e designou-se "Resistance", com projectos do arquitecto Álvaro Siza Vieira, da britânica Amanda Levete, do indiano Bijoy Jain, director do Studio Mumbai, da sueca Mia Hägg e do estúdio chileno Elemental, de Alejandro Aravena.

 

O material em bruto

No centro do projecto "Primeira Pedra" vão estar arquitectos, designers de produto e designers gráficos, sobretudo estrangeiros, que vão ser convidados a desenvolver trabalhos que foquem o material em bruto e processado, mas também o local da extração, as pedreiras, a envolvente sócio cultural e o papel na paisagem e no ambiente.

 

Depois da apresentação em Veneza, seguem-se Milão (Fuorisalone di Milano, Abril 2017), Nova Iorque (NYC Design Week, maio 2017), Basileia (Art Basel, Junho 2017), Londres (London Design Festival, Setembro 2017) e Dubai (Dubai Design Week, Outubro 2017).

 

O projecto tem como matéria-prima diversos tipos de pedra portuguesa, de diversas regiões do país, nomeadamente rochas ígneas (granitos, gabros, sienitos, etc.), rochas metamórficas (mármores, xistos metamórficos e outras, como gneisses e serpentinitos) e rochas sedimentares (fundamentalmente calcários, dolomitos e brechas).

 

"Primeira Pedra" tem curadoria e produção da associação Experimentadesign, com desenvolvimento em parceria com a ALTA_International Creative Alliance, nas áreas de vídeo, "mixmedia", "videomapping", "sound design" e plataformas digitais móveis.

 

O projecto foi aprovado no âmbito dos fundos comunitários do Quadro 20/20, através do programa Compete, numa candidatura liderada pela Assimagra — Associação Portuguesa dos Industriais de Mármores, Granitos e Ramos Afins.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que