Prémio

Ser um arquitecto criativo pode valer, pelo menos, 2500 euros

A Secção Regional Norte da Ordem dos Arquitectos (OASRN) é a organizadora dos prémios Arquétipo, que querem pôr os arquitectos na linha da frente do processo criativo. Candidaturas até 28 de Junho de 2018

Texto de Nuno Rafael Gomes • 04/12/2017 - 18:55

Distribuir

Imprimir

//

A A

Os prémios Arquétipo querem pôr os arquitectos na linha da frente do processo criativo. Esta é a premissa apresentada em comunicado pela Secção Regional Norte da Ordem dos Arquitectos (OASRN), organização da qual partiu a iniciativa. O objectivo é “promover o desenvolvimento ou [re]invenção de produtos, conceitos ou técnicas, com aplicabilidade directa no sector da construção”. Os prémios foram apresentados na edição 2017 da feira de construção reabilitação, arquitectura e design Concreta. O mesmo evento albergará, daqui a dois anos, a apresentação dos produtos e protótipos vencedores. Mas já lá vamos.

 

Há dois prémios para atribuir: um relativo à inovação e outro à investigação. O primeiro, o Prémio Arquétipo Inovação N41, convida os arquitectos do país a apresentarem propostas que tenham aplicabilidade directa no sector da construção — sejam produtos, conceitos ou técnicas. À boleia da criatividade, a palavra de ordem da primeira edição deste prémio, a submissão de ideias é aberta a todos os arquitectos inscritos na ordem. No entanto, os interessados poderão trabalhar em conjunto e constituir equipas multidisciplinares.

 

Há um calendário a seguir e as propostas para o Prémio Inovação devem ser submetidas até 28 de Junho de 2018, directamente junto das empresas que se associaram à OASRN nos primeiros Arquétipo. São elas a ARCH Valadares, ATZ, Cobermaster, ENOR, Knauf e as Tintas Robbialac. Em Julho de 2018, e através de um painel de três jurados, as empresas decidirão qual das propostas deve ser premiada. Cada um dos vencedores receberá 2500 euros.   

 

Os projectos premiados estarão automaticamente candidatos ao segundo galardão, o Master Prémio Investigação N41. O propósito “é incentivar a investigação do produto”, ao mesmo tempo que se prepara a adaptação e o lançamento para o mercado do mesmo. O júri decidirá qual dos produtos, técnicas ou conceitos se revela mais adequado “às necessidades e tendências do mercado”. Para além de uma distinção honorífica, o vencedor deste galardão também receberá 6 mil euros.

 

Ainda não há data marcada, mas a organização aponta Setembro de 2018 como provável para a cerimónia de atribuição do Prémio Inovação. No mesmo dia, conhecer-se-á o vencedor do Master Prémio e está prevista a inauguração de uma exposição digital das propostas. A partir de Outubro de 2018 começa o trabalho, e o prazo para o desenvolvimento do produto estende-se até Novembro de 2019.

 

Estes prémios realizam-se no âmbito do Projecto Norte 41º, constituído para colocar o Porto ao nível de desenvolvimento de outras cidades do mundo com a mesma latitude, como Barcelona ou Nova Iorque.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que