"DrySuit", um centro de fitness na Figueira da Foz

autoria P3

// data 09/05/2017 - 15:42

// 6087 leituras

Um centro de fitness na Figueira da Foz com um valor de construção inferior a 350 euros/m2. Missão: possível. Respostas? "Alternativas", responde o arquitecto Jorge Bártolo (que neste projecto trabalhou com Isa Clara Neves). "Recorreu-se a um método construtivo em aço leve com revestimento em cortiça, que permitiu rapidez de execução. Pretendeu-se potenciar a integração na paisagem" do edifício cujo pavimento usa terra do local. O edifício ganhou então o nome "DrySuit" — e também a comparação com o fato "seco, térmico e impermeável para salvação no mar, um último recurso". Se o fato salva o náufrago num ambiente hostil, o edifício, com revestimento de cortiça "seco, económico e impermeável", viabilizou a construção sustentável. "Tal como um fato seco permite flutuar e salvar vidas no mar, este edifício foi um exercício em tempo limitado, que propôs materiais alternativos, optimizou recursos energéticos naturais, salvaguardando, assim, a sua viabilidade e concretização", explicam os autores do DrySuit (aqui fotografado por José Campos), com um custo de 120 mil euros.

Eu acho que