Gigantes de betão que são "souvenirs" do passado comunista

autoria Ana Marques Maia

// data 08/03/2017 - 14:42

// 3818 leituras

É no sentido da preservação e reconhecimento histórico do património arquitectónico do Bloco Central e do Leste europeu erigido entre 1955 e 91 que a BACU (Bureau for Art and Urban Research) desenvolveu a iniciativa que denominou de "Socialist Modernism". "Lutar pelo reconhecimento de determinados pontos de referência socialistas como monumentos históricos" e "proteger, monitorizar, investigar e preservar os edifícios, monumentos, parques, praças, distritos inteiros" inseridos em países como a Alemanha, Polónia, República Checa, Ucrânia, Moldávia, Roménia, Bulgária, entre outros, é o principal objectivo da organização. Para sensibilização da opinião pública - no sentido da criação de pressão política para a criação de leis de protecção patrimonial -, o colectivo criou uma conta no Instagram (@socialistmodernism) onde vai revelando as pérolas arquitectónicas do referido período que permanecem intactas. Em paralelo, a BACU criou também uma campanha de crowdfunding que tem como objectivo a angariação de fundos para o desenvolvimento de uma aplicação para smartphone que facilite a localização destes marcos históricos - para que se tornem mais visitáveis. O P3 fez uma selecção dos gigantes de betão mais imponentes desta conta de instagram - que é seguida por quase 80 mil utilizadores - e promete levar-te numa viagem ao passado.

Eu acho que