Porto: uma viagem ao interior do Palácio do Comércio

autoria P3

// data 08/02/2017 - 19:45

// 9834 leituras

É um dos edifícios mais característicos da Rua Sá da Bandeira, no Porto. Daqueles que tem o dom de captar o olhar e provocar o pensamento: mas como será viver ali? Como será observar a cidade a partir daquele cavalo? Agora já sabemos, graças a estas fotografias de José Campos. Falamos do Palácio do Comércio (1944-1946), da autoria do casal de arquitectos David Moreira da Silva, filho de José Moreira da Silva, o fundador da Cooperativa dos Pedreiros Portuenses, e de Maria José Marques da Silva, cujo pai era nada mais nada menos do que José Marques da Silva, o arquitecto que tem a (merecida) fama de ter moldado a fisionomia do Porto no início do século XX — a dupla, aliás, assinou outros projectos emblemáticos na cidade, como a sede da Cooperativa dos Pedreiros e a "Torre Miradouro", na Rua da Alegria. Ora, claro que qualquer projecto em tão carismático edifício modernista há que ter em conta todo este contexto. E, se possível, respeitar as mármores, as madeiras nobres, o cobre dos caixilhos. De 2013 a 2016, o atelier in.vitro, de Joana Leandro Vasconcelos, dedicou-se a reabilitar três apartamentos de 200m2 cada localizados no 5.º, 6.º e 7.º pisos do prédio, com o objectivo de manter a "função de habitação com tipologias generosas (T3, T4 e T5)" e "possibilitando também a sua utilização como unidade turística". Foram feitas "intervenções pontuais, nomeadamente através da reabilitação dos elementos construtivos existentes e de pequenas alterações de distribuição funcional", refere o atelier num documento enviado ao P3, mas sempre pensadas "de forma a colidir o menos possível com os elementos construtivos existentes". Para, em simultâneo, "preservar o elevado valor patrimonial" e garantir "uma melhoria das condições de utilização e de conforto".

Eu acho que