Um AsSALTO às memórias do Porto

autoria P3

// data 02/01/2017 - 16:20

// 3894 leituras

De AsSALTO em AsSALTO, o Porto de outrora lá se vai mostrando em todo o seu esplendor. Agora, no dia 28 de Dezembro, foi a vez de um consultório de oftalmologia de 1927, aquele que à entrada da Rua Miguel Bombarda expõe uma curiosa placa identificativa: "Dr Castro Silva, Doenças dos Olhos". O visitante mais incauto talvez não estivesse pronto para a viagem ao passado que o esperava no cimo das escadas — e que estes desenhos tão bem ilustram. Instrumentos ópticos — e óptimos — da década de 30, painéis com letrinhas de outros tempos, uma secretária que gritava histórias. E numa salinha o doutor, ele próprio, dono e senhor de um museu vivo. Foi a segunda actividade deste projecto criado no âmbito de A Colecção de Desenhos. Escola de Arquitectura do Porto, do Centro de Estudos da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP). Através dele, os seus mentores, Noémia Herdade Gomes, professora auxiliar de Desenho da FAUP, e os dois doutorandos Carlos Machado e Moura e Rui Neto querem mostrar e preservar o património anónimo da cidade, aquele que está em vias de desaparecer. Todos são convidados a espreitar estes locais, desde que deixe um desenho ou escreva algo sobre o que vai lá dentro. Há que preparar os lápis e as canetas, pois o próximo AsSALTO já está marcado. Dia 11 de Janeiro, a partir das 9h30, abrem-se as portas de uma típica casa burguesa do século XIX, localizada na Rua de Cedofeita (n.º 492/498). E mais não se diz, como ressalva Noémia ao P3: "O que mais interessa é as pessoas terem impacto sobre aquilo que vão visitar. Que partam à descoberta".

Eu acho que